Volta Redonda lota mais de 100 ônibus

A torcida do Volta Redonda veio em grande número ao Maracanã. Lotou 105 ônibus e, de acordo com chefes de torcidas organizadas do clube, mais de 150 vans acompanharam a caravana. Centenas de carros de passeio também percorreram parte da Via Dutra para chegar ao Rio, numa viagem de pouco mais de duas horas. Nas proximidades do estádio, os ônibus foram escoltados por carros da Polícia Militar. Não houve incidentes entre as torcidas. Ao contrário, fora mesmo do Maracanã era visível o clima de confraternização entre tricolores e a torcida visitante. As provocações eram bem humoradas, sem registro de nenhum caso de violência. A prefeitura de Volta Redonda cedeu os ônibus e sugeriu a todos os viajantes que vestissem a camisa do clube. Além da roupa, eles trouxeram milhares de balões de gás nas cores preta e amarela. Trabalho mesmo da polícia foi para reprimir a ação dos cambistas. Cerca de 140 policiais à paisana circulavam desde o início da tarde nos arredores do estádio para proibir a venda ilegal de ingressos e deter os infratores. Houve até correria perto do portão 18 do Maracanã, quando alguns cambistas conseguiram escapar depois de perceberem a presença dos homens sem uniforme. O Volta Redonda entrou em campo imitando o gesto da seleção brasileira na Copa de 1994, com os jogadores de maõs dadas. Eles levavam uma faixa com a inscrição: "O Volta Redonda merece respeito." Era em alusão ao eventual favoritismo do Tricolor, alardeado pelo adversário e pela imprensa carioca antes do primeiro confronto da final, vencido pelo Volta Redonda por 4 a 3.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.