Votação da MP79 é adiada outra vez

A Câmara adiou hoje mais uma vez a votação da medida provisória que permite aos clubes de futebol se transformarem em empresas. O motivo foi a apresentação na última hora de um novo relatório pelo deputado Gervásio Silva (PFL-SC). Os líderes do governo argumentaram que a nova versão alterava substancialmente o acordo firmado no dia anterior entre os partidos e decidiram remarcar a votação da medida provisória do futebol para a próxima terça-feira. "O que nos chamou a atenção foi a tentativa do relator impedir que o Ministério Público fiscalizasse entidades esportivas e também impedir que os dirigentes sejam punidos", explicou o líder do governo na Câmara, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP). "Sentimos que a versão nova tornou muito mais frágil a capacidade de fiscalização do poder público sobre as atividades dos clubes e associações esportivas", completou. Já o PFL acusou o governo de não querer transparência nem moralizar o esporte brasileiro. "O governo não está querendo tirar o futebol brasileiro da cortina de fumaça que o envolve", disse o líder do PFL na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA). No relatório, Gervásio Silva recolocou o artigo que possibilita ao esporte se beneficiar dos incentivos fiscais da Lei Rouanet, hoje exclusivos à cultura. O relator também incluiu o artigo que exige laudos de inspeção dos estádios 20 dias antes dos jogos de futebol. Propôs ainda que os balanços dos clubes que se transformarem em empresas sejam publicados até o dia 30 de abril. Especifica que o presidente do clube e o diretor responsável por desvio de verbas serão os punidos. Gervásio incluiu ainda a obrigatoriedade dos clubes serem empresas para terem direito a financiamento público. "Tanto a fiscalização quanto a punição são muito mais rigorosas pela minha proposta?, afirmou o relator.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.