Mailson Santana / Fluminense FC
Mailson Santana / Fluminense FC

Votação das contas de 2017 do Fluminense é adiada após agressão a conselheiro

Vinicius Caldeira, da situação, levou um soco de um opositor

O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2018 | 00h01

A reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense para votar as contas de 2017, o primeiro ano da gestão de Pedro Abad, terminou em briga e sem um resultado. Na noite desta terça-feira, o encontro nas Laranjeiras acabou ficando marcado pela confusão, que ocorreu antes que o balanço fosse colocado em votação.

A divergência se deu por causa das contas de 2016, com membros da oposição pedindo para que a sua avaliação fosse reaberta, pois o Conselho Fiscal do Fluminense apontou déficit nas contas, ao contrário do superávit apontado inicialmente no último ano de Peter Siemsen à frente do time. 

As discussões foram longas e acaloradas, mas houve um princípio de acordo para que somente os números de 2017 fossem avaliados, com o balanço financeiro do ano anterior sendo avaliado posteriormente.

Porém, um tumulto impediu o prosseguimento do encontro. O conselheiro Vinicius Caldeira, da situação, levou um soco de um opositor. E seguiu para uma delegacia para registrar queixa.

Diante da situação, o presidente do Conselho Deliberativo do Fluminense, Fernando Leite, suspendeu a reunião. Ainda não foi definida uma nova data para avaliação das contas de 2017 do clube das Laranjeiras.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Fluminense futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.