Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

'Vou ajoelhar todo dia e agradecer', diz Prass após vitória nos pênaltis

Com os olhos cheios de lágrimas, goleiro dedica vaga aos filhos

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

29 de outubro de 2015 | 07h00

Herói da classificação do Palmeiras ao fazer uma grande defesa nos minutos finais da partida e depois defender a cobrança de Gustavo Scarpa na decisão por pênaltis, o goleiro Fernando Prass dedicou a vitória aos filhos, que fizeram aniversário ontem.

"Foi especial, porque hoje (quarta-feira) era aniversário dos meus filhos. Goleiro não faz gol, mas eu pude defender um pênalti. Vou ter de ajoelhar todo dia e agradecer a Deus. Eu sou um cara abençoado’", disse. Ele agradeceu também à família, e voltou a falar dos filhos. "É uma coisa que só eu e minha família vamos saber, ninguém precisa saber, mas meus filhos têm uma história muito bonita.’"

O presidente Paulo Nobre quebrou o protocolo e foi até o gramado comemorar com os atletas. "Você vai do céu ao inferno muito rápido no futebol. Você precisa trabalhar com rapidez para fazer isso. Como presidente, vejo evolução do Palmeiras. Sofri muito naquele jogo com o Atlético-PR (na última rodada do Brasileiro passado) e ver o Palmeiras chegando em duas finais esse ano é especial. Eu, como presidente, estou satisfeito, mas, como torcedor, quero o título", disse.

"Estou muito feliz, depois do ano terrível que tivemos. Conseguimos a duras penas passar o ano do centenário e agora estamos colhendo os frutos. Sobre o jogo com o Santos, espero duas grandes partidas, mas vamos deixar para pensar nisso amanhã (nesta quinta-feira). Hoje (quarta) é dia de comemorar e parabenizar a todos palmeirenses", completou.

O garoto Gabriel Jesus resumiu em poucas palavras o sentimento dos torcedores. "Estou muito feliz com o resultado e por estarmos em mais uma decisão, mas chega de ser vice, né? Vale pela festa, mas é só a semifinal. Agora vamos em busca do título", resumiu. "Foi um grande resultado e estou feliz de ver o apoio da torcida. Vamos fortes para essa decisão."

Já o meia Robinho, que retornou ao time após um mês fora, revelou que, por nervosismo, não conseguiu ver as penalidades. "Fui para o estacionamento na hora dos pênaltis. Estava passando mal. Fico feliz de voltar e contribuir. Todo o time fez um grande jogo", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasfutebolCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.