Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Wagner admite que time do Vasco ainda tenta 'encaixar' sob o comando de Valentim

Time de São Januário está a apenas uma posição da zona de rebaixamento

Estadão Conteúdo

03 Setembro 2018 | 18h26

Foram duas derrotas em dois jogos no comando do Vasco. E Alberto Valentim ainda tenta implementar seu estilo de trabalho na equipe carioca. Na avaliação do experiente Wagner, o grupo ainda está assimilando a metodologia do novo treinador, em busca do "encaixe" para fazer a equipe se recuperar no Brasileirão. O time carioca está a apenas uma posição da zona de rebaixamento.

"O Valentim passou o que quer da nossa equipe, a maneira que quer que cada um faça o seu papel. Estamos entendendo a metodologia de trabalho dele. Quando conseguirmos encaixar, as coisas vão melhorar, vamos engrenar e iremos subir na tabela. Não dá para mudar da água para o vinho tão rápido", ponderou o meio-campista, nesta segunda-feira, na reapresentação do time após a derrota para o Santos por 3 a 0, sábado, no Maracanã.

O primeiro passo para iniciar a reação vascaína será buscar a vitória sobre o América-MG, na quinta-feira, pela 23ª rodada do Brasileirão. Para alcançar os três pontos, a equipe carioca terá que quebrar um jejum de vitórias fora de casa no campeonato. Até agora foram cinco derrotas e quatro empates.

"Vamos procurar reverter essa situação. Durante o primeiro turno, infelizmente, não conseguimos vencer fora de casa. Agora vamos procurar que aconteça o oposto e as vitórias venham. Hoje discutimos bastante, vimos vídeos, observamos aquilo que erramos nos jogos passados", revelou Wagner.

O meia se diz bem informado sobre o próximo rival. "Tenho visto o América Mineiro jogar. Tive a chance de acompanhar a partida deles contra o Flamengo. Já joguei com vários jogadores que estão lá e o Adílson Batista já foi meu técnico. É um cara muito estudioso, muito aplicado, e que vai querer jogar em cima de alguns erros que a nossa equipe já cometeu", comentou.

Wagner prevê um duelo complicado pela frente. "A Arena Independência possui um gramado bom e o jogo tem tudo para ser muito rápido. Temos que marcar forte, estar ligado em todos os momentos e ter eficiência. Quando surgir uma oportunidade, temos que aproveitar", projetou.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebol Vasco Alberto Valentim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.