Carlos Gregorio Jr./Vasco.com.br
Carlos Gregorio Jr./Vasco.com.br

Wagner não treina e vira dúvida no Vasco para 'decisão' na Libertadores

Caso não jogue, meia se somará ao volante Desábato como desfalque para Zé Ricardo

Estadão Conteúdo

01 Maio 2018 | 15h58

O técnico Zé Ricardo pode ter problemas para escalar o Vasco no jogo decisivo desta quarta-feira contra o Cruzeiro, em São Januário, pela penúltima rodada da primeira fase da Copa Libertadores. Com gripe, o meia Wagner não treinou nesta terça-feira e virou dúvida para o duelo.

+ Confira a tabela da Copa Libertadores

+ Hernrique cita fase do Vasco no Brasileiro para triunfar na Libertadores

+ Mais notícias da Copa Libertadores

Zé Ricardo, que não terá o volante Desábato, expulso no empate com o Racing, da Argentina, disse que preferiu preservar Wagner da última atividade antes do duelo no Rio, mas avisou que conta com o meia.

"O Wagner teve uma gripe muito forte após o jogo e ficou em observação durante dois dias. Ele perde peso muito rápido e por isso preferimos preservá-lo do treino de hoje. Estamos contando com a recuperação dele", afirmou.

Se Wagner não se recuperar da gripe, o jovem Evander deve entrar no time. Na vaga de Desábato, apesar do mistério do treinador vascaíno, o substituto mais provável é Bruno Silva. Há, também, a possibilidade de o atacante Kelvin, afastado dos gramados há quase um ano devido a uma grave lesão no joelho, voltar ser relacionado para a partida.

"O Kelvin vai concentrar conosco, mas sua ida para o banco de reservas vai depender de uma avaliação nossa em cima da resposta dada por ele durante a semana. Se houver a possibilidade, ele estará disponível para o jogo. É um jogador importante e que pode desequilibrar em lances individuais. É preciso ter cautela com ele também, pois vem de um período muito grande de inatividade", explicou Zé Ricardo.

O comandante do time carioca garantiu que a equipe não mudará a forma de jogar pela ausência de Desábato e convocou a torcida para dar um passo em direção a uma classificação que seria heroica.

"A nossa forma de jogar não mudará, especialmente nesse jogo com o Cruzeiro. Haverá uma adaptação pela característica do Bruno (Silva), que é um jogador mais passador e de maior construção", afirmou. "O sentimento é muito positivo. É legal saber que a torcida estará conosco amanhã [quarta]. Precisamos muito dela. Demos uma demonstração de superação no último jogo e isso faz com que os torcedores tenham a certeza que estamos representando bem o Vasco", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.