Wallyson reclama de dores e diz querer ficar no Cruzeiro

O atacante Wallyson abriu o coração nesta terça-feira para falar de todos os problemas físicos que o atrapalham desde que passou por uma cirurgia em agosto do ano passado, para corrigir fraturas na fíbula e em dois ligamentos do tornozelo esquerdo. O jogador voltou a jogar pelo Cruzeiro em fevereiro, mas não conseguiu mais empolgar a torcida, nem se firmar na equipe.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2012 | 20h05

Neste Brasileirão, foram 17 jogos - apenas 10 como titular - e somente dois gols marcados. O jogador tem contrato só até o fim do ano e corre o risco de ser dispensado. Ele, porém, diz que ainda tem uma "dívida a pagar" com o Cruzeiro.

"Não joguei como esperava depois da lesão. Meu pensamento era voltar a ser o Wallyson de 2010. Não foi como esperei. Tem algo errado. Joguei uma partida bem e outra não. Foram muitas coisas que aconteceram comigo que me atrapalharam", lamentou o jogador, nesta terça, em entrevista coletiva.

Wallyson relatou que as dores na perna esquerda ainda o incomodam bastante. "Tenho uma placa e seis parafusos na minha perna esquerda. Essa placa limita alguns movimentos. Tem alguma coisa errada, tenho de ver. Não está certo. Tenho de ver com o doutor o que está acontecendo", acrescentou o atacante.

Ele pretende retirar a placa da perna esquerda ao fim do Campeonato Brasileiro e só depois pensar na renovação. "Quero voltar a jogar bem, ter alegria de jogar bem, fazer jogadas. Falei com doutor que sinto minha perna dormente no treino, o que não é normal. É uma coisa que está me incomodando, tirando minha concentração", reclamou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.