Washington, chamado de o novo Pelé, morre aos 57

O ex-jogador Washington, considerado o novo Pelé ao ser revelado para o futebol, morreu na noite de segunda-feira, em Bauru, vítima de insuficiência renal. Ele tinha 57 anos e estava internado desde outubro do ano passado no Hospital de Base da cidade do interior paulista. Foi a segunda internação dele, que desta vez não resistiu.

SANDRO VILLAR, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2010 | 17h17

Revelado pelo Noroeste no começo da década de 70 do século passado, Washington Luiz de Paula foi logo comparado a Pelé pelo toque refinado e por uma certa semelhança física com o Rei do Futebol. Depois de uma final de campeonato amador em Bauru, olheiros do Guarani o indicaram para o time de Campinas.

Já no Guarani, o jogador foi chamado para a seleção brasileira juvenil, sendo o melhor da equipe no Torneio de Cannes, na França. Convocado para duas seleções, a principal e a olímpica, Washington optou pela segunda e foi jogar na Olimpíada de Munique, na Alemanha, em 1972. Na seleção principal, ele seria o substituto de Pelé, após a última Copa disputada pelo Rei, em 1970.

Além do Guarani, o craque bauruense defendeu o Corinthians, seu time do coração, e o Vitória, da Bahia. Ele deixa a esposa Marisa Montanaro, quatro filhos e cinco netos. Um dos filhos, Everton, jogou no Atlético Paranaense e hoje atua no Guaratinguetá. Velado na Associação Luso Brasileira, o ex-jogador foi enterrado no fim da tarde desta terça no Cemitério da Saudade.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolWashingtonmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.