Eduardo Nicolau/AE
Eduardo Nicolau/AE

Washington marca, São Paulo ganha do Marília e consolida 3.º

Atacante segue na briga pela artilharia do Paulistão e time tricolor consegue a vantagem que tanto queria

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

15 de março de 2009 | 20h03

SÃO PAULO - Sem esforço e com um breve susto, o São Paulo fez 2 a 1 no Marília e garante a situação confortável que tanto desejava no Paulistão: chega a 29 pontos e fica com o terceiro lugar na classificação. E pode se preocupar totalmente com o jogo contra o Defensor Sporting, na quarta, pela Copa Libertadores.

Veja também:

link São Paulo pensa na Libertadores após vitória no Paulista

link Washington comemora gol decisivo no São Paulo

som Ouça os gols (pela Eldorado/ESPN): São Paulo 1x0 | São Paulo 2x0 | Marília 1x2

tabela Campeonato Paulista - Tabela e resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

A vitória era tudo que o técnico Muricy Ramalho pedia e os quase 10 mil torcedores esperavam no Estádio do Morumbi. Tiveram de aguentar uma partida devagar, com o Marília (sem seus artilheiros Fabiano Gadelha e Abuda) jogando totalmente nos contra-ataques e o São Paulo em busca de chances em velocidade.

 SÃO PAULO 2
Rogério Ceni; Renato Silva, Rodrigo e Miranda; Zé Luís (Arouca), Jean, Hernanes    , Jorge Wagner e Júnior César    ; Borges (Dagoberto) e Washington.
Técnico: Muricy Ramalho
 MARÍLIA 1
Giovanni; Rafael Mineiro (Reinaldo), Carlinhos, Flávio     e Adílio    ; Rodrigo Costa (Paulinho Dias), Francis, João Vítor e Ricardinho; Robert e Claudio (Jô).
Técnico: Leandro Campos
Gols: Hernanes aos 24 minutos do primeiro tempo; Washington aos 13 e Vítor aos 25 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Carlos Roberto dos Santos Junior

Renda: R$ 150.460,00

Público: 9.653 pagantes

Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)

Dentro deste contexto, só o gol de Hernanes se torna motivo para citação positiva no primeiro tempo da partida. E foi um golaço: aos 24 minutos, o volante chuta de fora da área, após cortar da esquerda para o meio, numa bomba, de pé direito, encobrindo o goleiro Giovani. Depois disso, um festival de tentativas sem objetividade, muitas faltas e cruzamentos sem finalização.

"A gente tá (sic) forte no jogo, conseguiu um gol e tá (sic) segurando, sem essa de se poupar para a Libertadores", garantiu Hernanes na saída de campo para o intervalo. E o panorama no segundo tempo é outro. Com a intenção de garantir a vitória, por ordem do técnico Muricy Ramalho, o São Paulo passa a aproveitar mais as saídas do Marília, que acredita que pode chegar a marcar gol.

GOLS

Num contra-ataque rápido, Washington fez o segundo gol do São Paulo: lançado por Borges, o atacante invade a área pela esquerda e, com um toque de classe de pé direito, manda a bola no canto esquerdo do goleiro Giovani, fazendo 2 a 0 para o São Paulo e seu nono gol no Paulistão, se consolidando na vice-artilharia, um atrás de Keirrison, do Palmeiras. "Foi importantíssimo, esses seis pontos em casa servem para dar tranquilidade", diz o atacante.

O susto acontece aos 25 minutos: João Vitor (Marília), em chute forte de fora da área, sem chance de defesa para Rogério Ceni, e diminui no placar: 1 a 2. Nada que se tornasse um grande problema, pois mesmo mais acomodado e tranquilo, o São Paulo manteve o domínio do jogo e ainda teve mais chances de marcar, com o próprio Washington, principalmente.

Com alguns espaços no campo, o Marília fez o possível para esboçar uma reação, mas nada de diferente do futebol que vem mostrando no campeonato e que o deixa na zona de rebaixamento do Campeonato Paulista. Agora, sua preocupação passa a ser o Oeste, no próximo fim de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.