Wellington esquece paixão corintiana

Um tímido baixinho de 1,69 metro, de discurso humilde e família pobre, que não esconde de ninguém a paixão pelo Corinthians, é a arma do Brasiliense para a decisão da Copa do Brasil. Wellington Dias, artilheiro do time com 7 gols, três a menos que Deivid, o principal goleador da competição, promete deixar a paixão de lado e surpreender o favorito. E dá o motivo: "Decisão é a maior chance de mostrarmos nosso futebol e, enfim, concretizarmos o sonho de vestir a camisa de um clube grande", diz o meia de 24 anos. "Espero fazer um grande jogo." E o sonho do garoto de Caldas Novas, interior de Goiás, é o eixo Rio-São Paulo, onde "estão os melhores clubes." Vestir a camisa do Corinthians seria um grande orgulho. Tanto para ele quanto para seu Eurípedes, o pai fanático pelo clube do Parque São Jorge e responsável pela carreira do filho. Quando Wellington tinha 7 anos, o pai o levou para ver Santos e Corinthians, na Vila Belmiro. De lá para cá, o garoto começou a ter admiração pelo clube. O pedreiro Eurípedes, que ganha salário mínimo, sempre incentivou muito o filho. Comprava chuteira, meião e materiais esportivos. Aos 14 anos, Wellington ingressou nas divisões de base do Caldas Novas. Hoje, é a principal estrela do Brasiliense, a quem promete lutar para conquistar o título. "De 90 para cá, o Corinthians conquistou tudo, só espero que não se repita contra a gente. Se tivermos um bom resultado nestes 90 minutos, vamos surpreender em casa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.