Wellington Paulista não esconde vontade de ser titular

Wellington Paulista chegou ao Palmeiras para resolver um problema crônico da equipe: a falta de um centroavante de ofício. Apesar de ter seu nome aprovado por Felipão quando da contratação junto ao Cruzeiro, o atacante ficou no banco contra a Ponte Preta e novamente começará na reserva no jogo desta quinta-feira, contra o Santo André.

AE, Agência Estado

18 de abril de 2011 | 20h51

Nesta segunda-feira, ele rechaçou uma possível insatisfação: "O objetivo é sempre pensar em coisas boas, e se eu atuar como titular será ótimo, fantástico. Vou procurar ajudar meus companheiros e fazer um grande jogo. E caso eu comece no banco, também não vai ter problema. O Felipão sabe como escalar o time e eu vou incentivar e estar do lado do grupo da mesma maneira", disse o jogador.

Mesmo sem poder jogar no Paulistão, porque foi contratado depois do prazo limite para inscrições, Wellington Paulista falou da importância de focar cada jogo ao seu momento. "Se entrar em campo na quinta pensando no domingo, é pior. Em partidas decisivas, é fundamental ter uma concentração acima do normal. Por isso que nesses primeiros treinos da semana, o pensamento precisa estar somente no Santo André."

Apesar da vantagem do empate, o atacante quer a vitória no Pacaembu: "É claro que nossa meta é a classificação. Jogamos em casa, do lado do nosso torcedor, temos uma vantagem. Mas em jogos de mata-mata, isso não conta muita coisa. Se a gente for entrar com o regulamento debaixo do braço, pode ser pior. Acho que é muito melhor entrar em campo esquecendo o primeiro jogo e buscar a vitória desde o início", analisou Wellington Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.