Gustavo Roth/Estadão
Gustavo Roth/Estadão

Wendell Lira aposta em Neymar como vencedor do Puskas

Para o atual ganhador do prêmio da Fifa, o gol do atacante do Barcelona foi o mais bonito

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2016 | 14h15

Atual vencedor do Puskas, Wendell Lira já tem o seu favorito ao prêmio de 2016. O agora youtuber de Fifa aposta no gol de Neymar como o mais bonito da temporada. "Acho que o Neymar vai ganhar. Além de ser o Neymar, foi um golaço, uma pintura. Sem dúvida foi o mais bonito entre os dez finalistas em questão de raciocínio, inteligência e qualidade para executar aquela jogada com perfeição", avaliou.

O gol selecionado pela Fifa foi o da vitória sobre o Villarreal por 3 a 0, no dia 8 de novembro de 2015, pelo Campeonato Espanhol. Na jogada, o atacante do Barcelona recebe passe de Suárez na área e, de costas para Jaume Costa, dá um chapéu no lateral antes de finalizar de primeira.

Apesar de apostar em Neymar, Wendell Lira não descarta Marlone, o outro brasileiro na lista dos dez finalistas. O corintiano pode viver situação parecida com a dele, já que o voto é pela internet. "Além de ser um golaço, ele está representando o Corinthians. É uma das maiores torcidas do Brasil. São dois fatores que podem ajudá-lo."

A escolha será feita pelos internautas pelo site da Fifa até o dia 2 de dezembro, quando os três finalistas serão divulgados. Na sequência, uma nova votação irá determinar o vencedor do Puskas, que receberá o prêmio em Zurique, na Suíça, em 9 de janeiro de 2017. A votação se encerrará durante o evento. 

Nos gramados virtuais, o youtuber diz que faz alguns gols parecidos como os selecionados pela Fifa para concorrer ao Puskas. "De falta faço uns gols bonitos daquele jeito de vez em quando", referindo-se ao do malaio Mohd Faiz Subri e do argentino Messi, que foi desbancando por Wendell Lira na última edição do prêmio. "Mas, como o do Marlone, de voleio, faço direto no Fifa", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBarcelona Clube de Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.