Facundo Arrizabalaga/EFE
Facundo Arrizabalaga/EFE

Wenger completa mil jogos pelo Arsenal acumulando fracassos recentes

Equipe nao conquista um título desde 2005 e costuma perder ídolos para rivais

Felippe Scozzafave, O Estado de S. Paulo

22 de março de 2014 | 17h14

LONDRES - O técnico Arsène Wenger é considerado praticamente uma lenda no Arsenal. No comando da equipe desde 1996, ele esteve presente em alguns dos maiores momentos da história do clube. Porém, os tempos agora são outros e hoje em dia o Arsenal está longe das grandes conquistas e volta e meia envergonha seus torcedores, como neste sábado, no jogo mil do treinador pelo clube, quando o Arsenal foi goleado pelo Chelsea pelo placar de 6 a 0.

Principal rival do Manchester United no final da década de 90 e início dos anos 2000, o Arsenal contava com um time considerado por muitos como o melhor do mundo, com nomes como Sol Campbell, Patrick Vieira, Robert Pires e o ataque formado por Thierry Henry e o holandês Dennis Bergkamp. Não a toa, conquistou o Campeonato Inglês em três oportunidades, sendo que na temporada 2003/2004 o título veio de maneira invicta.

Porém, com o passar do tempo, a mentalidade da equipe mudou, passando a apostar em jovens atletas e o time sucumbiu ao crescimento dos milionários Manchester City e Chelsea e dificilmente é visto em destaque nas competições que disputa. A última conquista do Arsenal foi no distante ano de 2005, quando o time bateu o Manchester United nos pênaltis e foi campeão da Copa da Inglaterra.

De lá para cá, a história do clube é marcada muito mais por vexames do que por glórias. Na Liga dos Campeões, a equipe acumula por quatro temporadas consecutivas eliminações nas oitavas de final, sendo as duas últimas delas para o Bayern de Munique, atual campeão.

Nas copas nacionais, onde o Arsenal sempre entra como um dos principais favoritos, a história não é muito diferente. Na Copa da Inglaterra, depois do título já citado em 2005, a equipe nunca mais alcançou sequer uma final. Considerando a Copa da Liga, a situação é ainda pior, já que sob o comando de Arsene Wenger o Arsenal nunca foi campeão do torneio. Na oportunidade que teve, em 2011, quando enfrentou o frágil Birmingham, da segunda divisão, surpreendeu a todos e acabou derrotado por 2 a 1.

Pensando no Campeonato Inglês, não podemos dizer que a equipe é um mero coadjuvante, já que constantemente conquista pelo menos uma vaga na Liga dos Campeões, porém, se limita a isso. Na atual temporada, depois de um início arrasador sob a batuta de Mesut Ozil, contratado do Real Madrid, a equipe praticamente não briga mais pelo título, pois está sete pontos atrás do líder Chelsea. Mais do que isso, o Arsenal protagonizou placares vergonhosos contra os principais rivais. Além do mais recente 6 a 0 sofrido para o Chelsea, a equipe já perdeu por 5 a 1 para o Liverpool em fevereiro e foi atropelado pelo Manchester City por 6 a 3.

CRAQUES INSATISFEITOS

Outro fator que marca a decadência de Wenger à frente do Arsenal é que é constante os principais jogadores do clube pedirem para serem negociados por não enxergarem a equipe em condições de conquistar títulos. Isso aconteceu com atletas como Thierry Henry, Cesc Fabregas, Emmanuel Adebayor, Samir Nasri e mais recentemente Robin Van Persie, que trocou o Arsenal pelo Manchester United e gerou revolta nos torcedores do time londrino. Porém, ele mostrou que não fez uma má troca, pois em sua primeira temporada no novo clube foi campeão Inglês e terminou o torneio como artilheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.