Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Adrian Dennis / AFP
Adrian Dennis / AFP

Wenger enaltece Harry Kane: 'Achei que Messi e Ronaldo eram imbatíveis'

Técnico do Arsenal deixa a rivalidade de lado e elogia astro do Tottenham

Estadao Conteudo

27 de dezembro de 2017 | 16h26

O feito obtido por Harry Kane na última terça-feira foi enaltecido nesta quarta até mesmo por um adversário: o técnico francês Arsène Wenger, do Arsenal. Em entrevista coletiva, ele enalteceu as marcas do atacante e assegurou: em sua cabeça, era impossível alguém bater o argentino Lionel Messi ou o português Cristiano Ronaldo.

Ao marcar três gols na vitória do Tottenham por 5 a 2 sobre o Southampton, Harry Kane chegou aos 56 no ano e se tornou o maior artilheiro de 2017, superando os 54 de Lionel Messi, tanto por clubes como por seleções, entre janeiro e dezembro - o inglês é o primeiro jogador desde o espanhol David Villa, em 2009, a terminar um ano com mais gols do que o argentino ou Cristiano Ronaldo.

De quebra, ele também se tornou o jogador que mais marcou gols em um ano na história do Campeonato Inglês. O atleta do Tottenham contabilizou 39 gols nos 12 meses de 2017, superando a marca anterior registrada por Alan Shearer, que balançou as redes por 36 vezes em 1995 com o Blackburn Rovers.

"Era possível prever isto?", questionou Arsène Wenger nesta quarta-feira. "Eu diria que não porque o que ele fez foi bater gente como Messi ou Ronaldo, que eram imbatíveis na minha cabeça. O que ele fez é a absolutamente fantástico".

Especificamente sobre o Arsenal, mais uma vez, Arsène Wenger falou sobre o atacante chileno Alexis Sánchez. Seu contrato termina no final da temporada e, como ele dificulta a renovação, o clube poderia vendê-lo em janeiro para que não saísse de graça na janela seguinte, no meio do próximo ano.

A expectativa, contudo, é de que o chileno permaneça. "Estarei ocupado nessa janela, sim, primeiramente porque os clubes te procuram para emprestar ou comprar seus jogadores e também porque estou aberto a qualquer possibilidade para o nosso time", contou. "Mas, para ser honesto, ninguém nos procurou (por Alexis) e manterei o que disse antes (sobre o atacante permanecer)".

Arsène Wenger falou ainda sobre o trio de lesionados do Arsenal - Nacho Monreal, Olivier Giroud e Aaron Ramsey - e deu um prognóstico sobre a recuperação. "Espero que Nacho Monreal retorne em 10 dias, Giroud seria em torno de quatro a seis semanas, mas eles está se recuperando rápido e pode ser menos. Já Aaron Ramsey deve voltar no início de janeiro".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.