Paul Ellis/AFP
Paul Ellis/AFP

Wenger garante que Alexis Sánchez e Özil permanecerão no Arsenal em janeiro

Dois dos principais jogadores da equipe londrina ficam sem contrato no meio da próxima temporada

Estadão Conteúdo

28 Novembro 2017 | 14h02

O técnico Arsène Wenger assegurou nesta terça-feira que dois de seus principais jogadores no Arsenal, o atacante chileno Alexis Sánchez e o meia alemão Mesut Özil, não serão negociados na próxima janela de transferência do futebol europeu, em janeiro.

+ Götze sofre lesão e desfalca Borussia Dortmund por seis semanas

+ Zidane se diz a favor do árbitro de vídeo, mas teme fim da 'espontaneidade do futebol'

Tanto Sánchez quanto Özil terão seus contratos encerrados ao término da temporada. Como ambos estão dificultando a renovação, o Arsenal poderia vendê-los em janeiro para que não saíssem de graça na janela seguinte, no meio do próximo ano.

Mas a possibilidade, admitida em outubro pelo próprio treinador, foi agora refutada nesta terça-feira. Questionado se Sánchez e Özil estarão no Arsenal em 1º de fevereiro, Wenger foi assertivo: "Sim, é claro".

"Não penso sobre isso todo dia", acrescentou. "No momento, enquanto estão aqui, eles precisam dar o melhor para o time e o clube. Na minha cabeça, eles ficam até o fim da temporada, essa é uma decisão que foi tomada no início. Ao menos que algo imponderável aconteça, não vejo como isso possa mudar."

Sobre a renovação para a próxima temporada, o treinador foi menos otimista. "Não sou o único que pode decidir isso. Eles também têm parte nisso. Se fosse minha decisão, eles continuariam", argumentou. "Eles estão no fim de contrato. Vão permanecer? É impossível responder hoje porque eu não sei."

Özil chegou em 2013, contratado do Real Madrid, enquanto Alexis Sánchez veio no ano seguinte após uma boa passagem pelo Barcelona. E, se a dupla deve sair, o treinador antecipou que pretende manter Jack Wilshere, sondado para reforçar o Betis. O meia de 25 anos vem sofrendo com lesões nas últimas temporadas.

"Se eu pensar que o melhor para ele é permanecer, lutarei 100% para que ele fique, porque é um cara de grande qualidade e que está recuperado. Quando você tem um jogador de qualidade, precisa querer que ele esteja no Arsenal", completou Wenger.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.