Wenger se diz disposto a ficar no Arsenal 'para sempre'

Embora não tenha ganho nenhum título nos últimos oito anos, o técnico Arsène Wenger continua desfrutando do apoio dos donos do Arsenal e pensa que uma permanência prolongada poderia torná-lo "imortal". Há 17 anos no comando do Arsenal, Wenger é o atual recordista em longevidade entre os times da elite do futebol inglês e reiterou seu desejo de permanecer no clube de Londres após o fim desta temporada, quando se encerrará o seu contrato.

AE-AP, Agência Estado

27 de setembro de 2013 | 10h40

"Honestamente, eu gostaria de ficar aqui para sempre, porque isso significaria que eu seria imortal", disse Wenger, nesta sexta-feira, na véspera do jogo com o Swansea, fora de casa, pelo Campeonato Inglês. "Eu não sou ingênuo o suficiente para acreditar nisso. O que eu gostaria de fazer enquanto estou aqui é dar o meu melhor para este clube, porque eu amo este clube".

O francês foi alvo de Paris Saint-Germain na temporada passada, mas esta semana recebeu o apoio do proprietário do Arsenal, Stan Kroenke, que defendeu a permanência de Wenger por um longo prazo e se disse "totalmente alinhado" ao técnico.

"Estou muito honrado de ter o apoio de Stan Kroenke", disse Wenger, acrescentando que recusou várias ofertas desde que assumiu o comando do Arsenal. "Que ele pense que eu posso ajudar o clube é um grande voto de confiança. Isso é algo que para mim é muito positivo. Eu não sei (quando vou assinar um novo contrato). Quando encontramos tempo".

Nem todos, porém, pareciam compartilhar do ponto de vista do proprietário no início da temporada, quando Wenger foi criticado pelos torcedores por seu fracasso em contratar grandes jogadores. Mas a chegada alemão Mesut Özil por um valor recorde para o clube de 50 milhões de euros, combinada com o bom começo de temporada do time aliviou a tensão.

O Arsenal, cujo último título foi a Copa da Inglaterra em 2005, lidera o Campeonato Inglês após cinco rodadas, revertendo a sua tendência de começos irregulares. A Wenger também é creditado os bons resultados financeiros do clube nos últimos anos. Mas os torcedores querem mesmo um título, nostálgicos de uma época em que o time lutava para ser campeão inglês em todos os anos.

Wenger, que assumiu o comando do Arsenal em outubro de 1996, não demorou muito para ser campeão pelo Arsenal, tendo conquistado o título do Campeonato Inglês em 1998, 2002 e 2004, este último de forma invicta.

"Nosso trabalho tem uma boa vantagem: você olha para a frente, para o próximo jogo. Você nunca olha para trás", disse Wenger, quando foi solicitado a avaliar os seus 17 anos à frente do time. "Acredito que é o mais importante. É claro que quando você olha

para trás, há um grande esforço e consistência no esforço por trás disso. Para mim, o mais interessante é o jogo de amanhã".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolArsenalArsene Wenger

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.