Werder Bremen|Site Oficial
Werder Bremen|Site Oficial

Werder segura pressão do Wolfsburg, vence fora de casa e reage no Alemão

Time deixa zona de rebaixamento, trocando a 16ª pela 15ª posição

Estadao Conteudo

24 Fevereiro 2017 | 18h42

Em duelo de rivais que tentam se afastar da zona de rebaixamento no Alemão, o Werder Bremen exibiu maior resistência nesta sexta-feira e conquistou preciosos três pontos, ao vencer o Wolfsburg por 2 a 1, na casa do adversário, na abertura da 22ª rodada.

Os visitantes abriram 2 a 0 com certa facilidade no primeiro tempo e passaram o restante do jogo contendo a forte pressão imposta pelos anfitriões. A falta de pontaria, que incluiu uma bola na trave, e as defesas do goleiro Wiedwald evitaram que as seguidas investidas do Wolfsburg causassem o empate no placar.

No confronto disputado na Volkswagen Arena, Wolfsburg e Werder Bremen fizeram um primeiro tempo eletrizante. A começar pelo gol de Serge Gnabry logo aos 10 minutos de jogo, em finalização que contou com desvio, enganando o goleiro Benaglio.

Mesmo jogando fora de casa, o Werder só precisou de mais sete minutos para anotar o segundo gol. Aconteceu aos 17, quando Sané escorou de cabeça dentro da área e a bola sobrou no peito de Serge Gnabry, que matou bonito e fuzilou para as redes.

A resposta do Wolfsburg foi imediata. Apenas um minuto depois, o time da casa descontou em cobrança de escanteio. Didavi desviou de cabeça na área e Borja Mayoral mandou para as redes de peito.

Daí em diante, só deu Wolfsburg, principalmente na etapa inicial, com investidas quase fulminantes no ataque. Wiedwald fez defesas importantes para salvar o Werder. No segundo tempo, o ritmo de jogo sofreu uma ligeira queda, mas o time anfitrião seguiu com maior iniciativa. Desta vez, a falta de pontaria causou a decepção da torcida local.

Com o resultado, o Werder Bremen chegou aos 22 pontos e deixou a zona de rebaixamento, trocando a 16ª pela 15ª posição. Está uma colocação atrás do Wolfsburg, que tem a mesma pontuação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.