William dá vitória ao Santos na Vila

O Corinthians foi melhor na maior parte do tempo. No entanto, acabou não sendo suficiente para chegar ao gol e muito menos para evitar que o Santos o fizesse. Conclusão, o técnico Celso Roth respirou com a vitória de hoje, na Vila Belmiro, por 1 a 0, gol do jovem William. Com o resultado, o Santos chegou a 6 pontos e enfrenta a Portuguesa no sábado. Já o Corinthians permaneceu com 4 e pega o Etti Jundiaí no domingo. Ressentindo-se do grande número de mudanças na equipe (Dida, Kléber e Luizão estão na seleção brasileira e Vampeta fez sua estréia), o Corinthians precisou de alguns minutos para encontrar seu ritmo. Quem ganhou com isso foi o Santos. O time de Celso Roth aproveitou a oscilação inicial do adversário para dominar a partida. Logo aos 27 segundos, o atacante Elano, em boa jogada na entrada da área, exige boa defesa do goleiro Doni. Um minuto depois, o zagueiro Cléber quase abre o placar para os donos da casa. A pressão santista durou 20 minutos. A partir daí, os meias corintianos, especialmente Ricardinho, se posicionaram melhor no gramado. Isso facilitou a ligação com os atacantes e as jogadas começaram a surgir com facilidade. Destaque para o lance ocorrido aos 29. Ricardinho deixou de calcanhar para Rogério, que divide com Fábio Costa. Na sobra, Renato chuta de fora da área para a defesa do goleiro santista. Com o domínio da partida, a equipe de Carlos Alberto Parreira se sentiu à vontade para explorar também as laterais do campo, sobretudo pelo lado esquerdo, com Édson Canhão. Já o Santos ficou refém das subidas do lateral Léo. Robert, que tradicionalmente arma os ataques santistas, pouco apareceu. Nem mesmo a lentidão de Vampeta pelo meio foi explorada pelo time da Vila Belmiro. No segundo tempo, os visitantes se mantiveram melhor na partida. Aos 20, Deivid puxa contra-ataque pela direita e chuta forte. Fábio Costa rebate e, na seqüência, divide com Gil. Os dois se chocam dentro da área, mas o árbitro Edílson Pereira de Carvalho não marcou o pênalti. Sete minutos depois, William recebe a bola dentro da área, gira na frente de Scheidt e chuta para abrir o placar.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2002 | 23h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.