José Luis da Conceição/AE
José Luis da Conceição/AE

William revela que demorou para valorizar o Palmeiras

Jogador de 23 anos afirma que teve de apanhar muito para perceber o potencial do clube alviverde

AE, Agencia Estado

06 de janeiro de 2010 | 17h02

Reintegrado ao Palmeiras nesta semana, o meia William revelou nesta quarta-feira que aprendeu a valorizar o clube paulista após ficar fora por dois anos, com passagens por Náutico, Ipatinga e Vitória. "Tive que apanhar muito para reconhecer a grandeza do clube", admitiu o jogador, de 23 anos.

 

Veja também:

linkPalmeiras adota cautela 'cirúrgica' para contratações

link Palmeiras vai fazer dois jogos-treino em Atibaia

William foi revelado nas categorias de base do Palmeiras, mas deixou o grupo por empréstimo a pedido do técnico Vanderlei Luxemburgo. "Não tenho o que criticar os clubes por onde eu passei, mas por tudo o que eu vivi e ouvi os outros jogadores falarem, o Palmeiras é diferenciado. Os jogadores que estão de fora tem o sonho de jogar aqui", afirmou.

O retorno ao time foi definido no final de dezembro, quando o meia foi chamado para integrar o grupo do técnico Muricy Ramalho. "Estou realizado. Não queria ter saído, mas agora será um recomeço. Quero aproveitar essa chance e me firmar de vez. Não quero mais sair daqui", garantiu.

William acredita que poderá contribuir com o time após melhorar seu condicionamento físico e ganhar experiência nos clubes por onde passou. "Acho que eu amadureci desde a minha saída daqui. Melhorei meu condicionamento físico e muscular, fiquei mais forte. Esses dois anos foram importantes para eu viver uma outra realidade e chegar aqui com o espírito renovado".

Fora do Palmeiras, o jogador atuou em outras posições, como atacante e até ala esquerdo. Mas disse que pretende voltar a jogar no meio-campo. "Estou mais versátil e me adaptando em outras funções. Volto ao Palmeiras para atuar na minha posição de origem, que é a meia-esquerda. Mas também tenho muita facilidade para atuar na lateral-esquerda".

"Vai depender muito do estilo de jogo e daquilo que o Muricy quiser. Na verdade, não tenho o que escolher. A chance está sendo dada e eu quero mostrar serviço aonde for necessário", completou.

Por fim, William assegurou que está totalmente recuperado do problema no coração que o tirou de campo quando subiu para o time profissional. "Já faz parte do passado. Continuo fazendo os exames, mas como qualquer atleta. Só minha família que fica apavorada toda vez que faço os exames no coração. Mas isso é normal. Graças a Deus está tudo perfeito".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.