William se defende: 'Falei para ele que aqui não é a Itália'

Zagueiro e capitão corintiano reforça que sofreu a falta de Adriano no lance do gol anulado, no clássico

Jornal da Tarde

27 de janeiro de 2008 | 20h40

A chiadeira do São Paulo e de Adriano é injustificada. Assim o zagueiro William, do Corinthians, dá a sua versão do gol anulado no lance dele com o atacante, no final do clássico entre os times que terminou empatado por 0 a 0 neste domingo. "O árbitro marcou falta porque o Adriano me deslocou no alto. Ele ainda falou para o Salvio que na Itália não se marcaria falta naquela disputa. Falei para ele que aqui não é a Itália. Se lá não marcariam falta, aqui é diferente", discursa.Veja também: Adriano e os são-paulinos reclamam de gol anulado no clássico Vote: Adriano fez falta em William? Opine: Dagoberto sofreu pênalti de Chicão? São Paulo e Corinthians não saem do 0 a 0 no MorumbiWilliam não se conformou ao ouvir que os rivais estariam reclamando da arbitragem. "O Joílson deu um tapa na bola e não tomou amarelo. Em seguida fez falta e tomou. Deveria ser vermelho. Isso ainda no primeiro tempo. Imagine o time deles no segundo tempo só com dez jogadores. O juiz não ajudou ninguém."Já o técnico Mano Menezes minimizou o fato. "Foi um jogo que apresentou chances para os dois lados e tivemos chances primeiro. Uma com o Finazzi e outra com o Acosta. No início do segundo tempo, teve a bola que sobrou para o Lulinha. Depois, por dificuldades de criação, eles optaram por ligação direta. Depois disso, teve o lance do gol anulado, que deve ter reclamação, mas nada que tire o nosso bom desempenho."ACOSTA VAIADOAo ser substituído por Lulinha, o uruguaio Acosta foi vaiado por parte dos torcedores no Morumbi. Esperto, ele se apoderou das palmas que eram dirigidas ao jovem atleta que entrava e retribuía como se fosse para eles. Ele saiu sem dar entrevistas. O Corinthians enfrentará o Sertãozinho, quarta-feira, em Ribeirão Preto. O grupo de jogadores viajará na terça-feira para a cidade interiorana.PROVOCAÇÃOAlheio às polêmicas, o presidente Andrés Sanchez roubava a cena falando baixinho para quem perguntava se estava orgulhoso com o empate diante do bicampeão do Brasil. "Vai para a p.q.p! Tem de respeitar o Corinthians. Não somos menos que o São Paulo e que ninguém", respondia, sorrindo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.