Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Willian compara Roger a Tite pela gestão do elenco do Palmeiras

Atacante afirma que treinador do time realiza conversas com o elenco para evitar descontentamentos de quem não é titular

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

01 de fevereiro de 2018 | 15h54

O atacante Willian, do Palmeiras, elogiou nesta quinta-feira a forma como o técnico Roger Machado tem conduzido o elenco do time. Na opinião do artilheiro do time na última temporada, o treinador tem conduta exemplar ao conversar com os jogadores, explicar as escolhas na equipe titular e, assim, fazer mesmo os reservas compreenderem a situação e não ficarem desanimados por serem preteridos.

+ Dracena fica perto de estreia na temporada

+ Zagueiros vibram com sequência no time

O jogador do Palmeiras citou o atual técnico da seleção brasileira, Tite, como um dos comandantes mais hábeis nesse trabalho de administração de grupo. "É o papel mais importante que eu vejo hoje (gerir grupo). Temos uma referência que é o Tite, na seleção, como ele faz a gestão dos atletas. Em um time grande lidar com essas situações é difícil, tem elenco com 30 atletas e 20 em alto nível podendo ser titular. Mas sabemos que todos estão aqui por méritos", afirmou Willian em entrevista coletiva.

Willian trabalhou com Tite no Corinthians, onde foram campeões em 2011 do Brasileiro e em 2012 da Copa Libertadores. Essa convivência levou o jogador a comparar o treinador da seleção a Roger Machado. "Teve uma conversa com ele, que disse respeitar a história de cada um, mas que para ele isso ia zerar. Todos querem estar ajudando, é realmente horrível não jogar. Quando o grupo vai se tornar vencedor, quando falamos de família Palmeiras, são nessas atitudes e nessas diferenças que vamos sobressair. É se entender e respeitar o espaço de cada um", comentou.

O atacante tem sido titular neste começo de ano e já marcou, inclusive, um gol, o primeiro da equipe em 2018. Willian disse que no Palmeiras há um bom ambiente, mesmo com a intensa disputa por posições. Para o jogo de domingo, contra o Santos, pelo Campeonato Paulista, o jogador deve novamente ser utilizado no setor ofensivo ao lado de Dudu e de Borja.

O próprio temor palmeirense por insatisfações no elenco causadas pela qualidade de atletas e as poucas vagas no time levaram a diretoria a criar um novo cargo. Recém-aposentado, Zé Roberto se tornou assessor técnico e tem entre as atribuições, conversar com os jogadores e evitar que possíveis descontentamentos possam atrapalhar o rendimento da equipe.

"Esse trabalho de conversar com um atleta ou outro é em sigilo.Nós mesmo ou vocês, da imprensa, vão ficar sabendo muito pouco. Ele tem de abordar o profissional e o assunto morrer entre eles. Quando temos oportunidade estamos sempre conversando, é uma referência para nós", afirmou Willian.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.