Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Willian decide e Palmeiras quebra tabu em Campinas com virada sobre o Guarani

Atacante, que vem recebendo poucas chances com Abel Ferreira, fez o gol da vitória por 2 a 1

Fabio Hecico, especial para O Estadão

23 de abril de 2021 | 22h08

Willian vem recebendo poucas chances no Palmeiras. Ficou para trás até na disputa para a reserva dos atacantes no clube. Mas jamais deixou de se empenhar, mesmo pensando em buscar novos ares. Nesta sexta-feira, de seus pés, saiu o gol da virada sobre o Guarani, por 2 a 1 no Brinco de Ouro, pelo Campeonato Paulista Sicredi 2021, acabando com um jejum de 18 anos em mais um dia de apresentação fraca do time.

Após seis visitas decepcionantes ao Guarani no período sem triunfos, o Palmeiras virou pela primeira vez na atual edição do Campeonato Paulista e ressurgiu na disputa. Ao sair perdendo, o time ficava com cinco pontos de desvantagem sobre o Novorizontino. A reviravolta no placar o recolocou na briga pela segunda vaga no grupo, agora com dois pontos atrás e quatro jogos para disputar. O Red Bull Bragantino está disparado na frente.

Willian fez valer a lei do ex em Campinas. Ele se profissionalizou pelo Guarani e aproveitou uma bela jogada coletiva para concluir o cruzamento de Zé Rafael na segunda trave, para marcar e vibrar muito. Ele sabia que necessitava de um gol para mostrar que ainda é útil. Como Abel Ferreira vai utilizar muito os reservas na temporada, esse gol pode ter dado vida nova ao atacante.

O técnico palmeirense manteve sua estratégia de rodar o elenco para evitar lesões desnecessárias. Nada de arriscar seus desgastados titulares. Optou por utilização dos reservas em Campinas. Até o goleiro Weverton ganhou descanso após a cansativa ida ao Peru, enfrentar o Universitario na estreia pela Libertadores, quarta-feira.

Mesmo com mudanças, o técnico português apostava numa postura de imposição. Queria a vitória que não vinha nas visitas ao Guarani desde um 2 a 0 em 2003. Foram quatro derrotas e dois empates no período. 

Com nomes mais experientes em relação à equipe utilizada na rodada passada diante do Botafogo, casos de Felipe Melo, Gustavo Scarpa, Viña e Willian, a meta era acabar com o jejum de quatro jogos sem triunfos no estadual e encostar no Novorizontino na briga pela segunda colocação da chave C.

Tudo bonito e perfeito que durou pouco com uma sucessão de erros infantis e inadmissíveis no futebol. Primeiro, a marcação deixou o lateral cruzar para a área. A seguir, o defensor afastou a bola para a entrada da área. Por fim, o zagueiro deixou o atacante dominar, driblar e chutar. Resultado: gol de Andrigo e Guarani na frente. O verde que se destacava em Campinas era o dos mandantes.

Foi uma primeira etapa ruim do atual campeão. Carente de entrosamento e totalmente apático, foi presa fácil. Num recuo errado de cabeça de Henri, Vinícius Silvestre salvou o segundo gol nos pés de Davó. O atacante ainda teve um gol anulado por impedimento. Só deu Guarani.

Mais por sorte que competência, o Palmeiras foi para o descanso com a igualdade. Num raro ataque, Scarpa cabeceou errado e contou com desvio de Mateus Ludke para empatar. Gol contra e castigo aos mandantes. 

Abel teria 15 minutos para arrumar a equipe. E inovou, fazendo logo quatro substituições, numa prova de reprovação do desempenho observado. Três na defesa. Poupou os substituídos alegando desgaste.

O Palmeiras melhorou um pouco. Mas longe de apresentar o futebol de destaque da temporada passada. O jogo, porém, deixou de ser de uma equipe apenas.

O Guarani não assimilou bem o golpe do empate no minuto final da primeira etapa e voltou avisando dos erros. Na frente a bola parecia queimar nos pés e, curiosamente, logo após outra gol perdido de Davó, buscou a virada.

Willian, profissionalizado no Guarani, marcou e deu importante vitória para o Palmeiras, de volta à briga pela vaga às quartas de final em sua primeira virada no Campeonato Paulista.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 X 2 PALMEIRAS

GUARANI - Rafael Martins; Mateus Ludke (Éder Sciola), Romércio, Airton, Bidu; Bruno Silva, Rodrigo Andrade (Tony), Andrigo (Pablo); Bruno Sávio (Régis), Júlio César e Davó (Rafael Costa). Técnico: Allan Aal.

PALMEIRAS - Vinícius Silvestre; Mayke (Gustavo Garcia), Danilo Barbosa, Henri (Rafael Elias), Renan e Viña (Esteves); Felipe Melo, Gabriel Menino (Zé Rafael) e Gustavo Scarpa; Willian e Wesley (Giovani). Técnico: Abel Ferreira.

GOLS - Andrigo, aos 13, e Mateus Ludke (contra), aos 46 minutos do primeiro tempo; Willian, aos 24 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Renan (Palmeiras) e Rodrigo Andrade e Bidu (Guarani).

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

LOCAL - Brinco de Ouro, em Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.