Adam Davy/Reuters
Adam Davy/Reuters

Willian, do Arsenal, denuncia ter sofrido ataques racistas nas redes sociais

Jogador brasileiro revela que foi alvo de xingamentos na internet e cobra mudança de atitude

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2021 | 17h59

O meia-atacante Willian, do Arsenal, denunciou nesta sexta-feira diversos ataques racistas que sofreu nas redes sociais nas últimas horas. Em seu perfil no Instagram, ele publicou as ofensas e fez um breve desabafo: "Algo precisa mudar! A luta contra o racismo continua".

O jogador, com diversas passagens pela seleção brasileira, copiou "prints" dos comentários que recebeu nas últimas horas. Em quase todos, aparecia a palavra "macaco", às vezes acompanhado das figuras do animal e de bananas. Outro diz para o atleta "voltar para a selva".

Alguns fizeram referência ao empate do Arsenal com o Benfica, por 1 a 1, na quinta, pela fase de mata-mata da Liga Europa. O brasileiro entrou apenas nos acréscimos da partida. "Nós não podemos e não vamos deixar o racismo e o ódio se tornarem normalizados no futebol", disse um porta-voz do Arsenal horas depois.

O ataque racista a Willian acontece num momento em que os próprios clubes ingleses estão se unindo numa campanha contra o preconceito. Até rivais como Manchester United, Manchester City, Everton e Liverpool deixaram de lado as diferenças para emitirem comunicado conjunto pedindo o fim do racismo.

"Todos nós precisamos trabalhar juntos para acabar com este tipo de comportamento. Isso inclui os clubes, as entidades responsáveis, os torcedores, a imprensa e os políticos. Mas exige a ajuda e o compromisso das empresas de redes sociais", afirmou o porta-voz do Arsenal, nesta sexta.

Antes de Willian, diversos jogadores do futebol inglês sofreram ataques racistas. Dentre os atletas alvos estão Marcus Rashford e Lauren James, também do Manchester United, além de Reece James, do Chelsea, e Alex Jankewitz, do Southampton. Nos últimos dias, Anthony Martial e Axel Tuanzebe, ambos do United, também foram alvos destes ataques.

"Nós nos comprometemos a usar nossa voz e nossa rede de apoio para fortalecer medidas e ações tomadas por autoridades relevantes para punir os responsáveis por estes abusos, o que afeta todos nós. Se um indivíduo destes for sócio do Arsenal, será banido do clube", afirmou o representante do time londrino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.