Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Willian e Coutinho lamentam ausência de Neymar, mas exaltam jogo coletivo

Meias devem ser titulares na próxima sexta-feira (23/03), diante da Rússia

Estadão Conteúdo

21 de março de 2018 | 13h10

Cotados para exercer as funções de Neymar na seleção brasileira, Willian e Philippe Coutinho lamentaram nesta quarta-feira o desfalque do atacante nos amistosos com a Rússia e a Alemanha, mas trataram de exaltar o jogo coletivo da equipe, às vésperas da Copa do Mundo.

+ CBF revela nova camisa do Brasil com amarelo 'vibrante' inspirado na Copa de 1970

+ Ismaily se apresenta à seleção: 'Sou um lateral que gosta de apoiar o ataque'

"O Neymar é um grande jogador, muito importante para a seleção. Sentimos a falta dele, mas temos que suprir de alguma forma", disse Coutinho. "A seleção cresceu muito coletivamente, isso é o ponto principal e temos que seguir dessa maneira. Sobre tática, acho que será parecido, algum jogador terá que ocupar a posição dele e quem entrar terá todas as qualidades para responder à altura."

 

Willian também lamentou a baixa, mas minimizou a dependência de Neymar na seleção. "O Neymar é um jogador importante, sabemos da importância dele na seleção, mas acho que o importante hoje é o coletivo muito forte. Isso aparecendo, as individualidades vão aparecer normalmente", declarou.

Em grande fase no Chelsea, o meia negou expectativa de viver na seleção o mesmo protagonismo que vem tendo no clube inglês. "O objetivo na seleção não é ser protagonista, e sim levantar a taça de campeão do mundo. O protagonismo tem de ser de toda a equipe, esse é nosso objetivo. O que quero é ser campeão do mundo", destacou.

Tanto Coutinho quanto Willian já substituíram Neymar em suas funções na seleção. Desta vez, eles devem atuar juntos, com Willian mais à frente, na posição que geralmente é ocupada pelo atacante do Paris Saint-Germain. Ele formará trio de ataque com Douglas Costa e Gabriel Jesus.

Coutinho atuará mais atrás, com Paulinho e Casemiro. O meia não antecipou qual será sua exata posição no esquema do técnico Tite para os amistosos de sexta e terça-feira. Porém, se colocou à disposição para atuar em diferentes posições, seja mais aberto ou mais centralizado.

"Na minha cabeça é indiferente, tenho que estar sempre preparado. É isso que mentalizo para quando tiver oportunidade responder à altura, em grande nível. Sempre respeitando a posição, o que deve fazer o jogador em cada posição, e em relação a isso deixo para o treinador, onde ele prefere e precisa", afirmou o meia do Barcelona.

O amistoso entre a seleção brasileira e a Rússia está marcado para as 13 horas (horário de Brasília) desta sexta-feira. Depois de encarar os futuros anfitriões da Copa, a seleção enfrentará a Alemanha quatro dias mais tarde, em Berlim. O Brasil está no Grupo E da Copa do Mundo e estreia no dia 17 de junho, diante da Suíça. Costa Rica e Sérvia serão os outros adversários da primeira fase.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.