Facundo Arrizabalaga/EFE
Facundo Arrizabalaga/EFE

Willian lamenta atual situação do Chelsea, mas confia em Hiddink

Clássico contra United será decisivo para temporada

Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2015 | 16h33

O Chelsea viveu nestes últimos seis meses um inesperado péssimo início de temporada no Campeonato Inglês. De 18 partidas disputadas, perdeu nove, somou somente 19 pontos e está na 15.ª colocação, somente dois pontos acima da zona de rebaixamento. No último sábado, voltou a tropeçar e não passou de um empate diante do Watford, por 2 a 2, mesmo atuando em casa.

Para acabar com este péssimo momento, nada melhor do que vencer um rival que também atravessa uma crise. Na segunda-feira, a equipe duela com o Manchester United, em Old Trafford. "Agora precisamos descansar e estar prontos para segunda-feira. Esta situação é difícil para nós, mas acho que podemos vencer jogo a jogo e terminar o campeonato entre os quatro primeiros", disse Willian ao site do clube.

Para fugir da crise, o Chelsea apostou na troca de comando. Demitiu o grande ídolo da torcida José Mourinho e contratou o experiente Guus Hiddink, de 69 anos. Entre os muitos clubes e seleções de sua carreira, o treinador holandês trabalhou no Anzhi Makhachkala, onde comandou Willian.

"Eu o conheço do Anzhi, na Rússia, e eu gosto de trabalhar com ele", afirmou o meia brasileiro. "Ele é um cara legal e um bom técnico, então agora nós temos que aprender com o que ele pode passar e explicar", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebol internacionalChelseaWillian

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.