Washington Alves/Light Press
Washington Alves/Light Press

Willian minimiza perdas do Cruzeiro e elogia reforços

Atacante nega que o elenco tenha se enfraquecido e destaca que o clube manterá o alto nível com as seis contratações feitas até agora

Estadão Conteúdo

21 de janeiro de 2015 | 13h33

Atual bicampeão brasileiro, o Cruzeiro perdeu nas últimas semanas jogadores que foram titulares em 2014, casos do lateral-esquerdo Egídio, do meia-atacante Ricardo Goulart e do centroavante Marcelo Moreno. O atacante Willian, porém, nega que o elenco tenha se enfraquecido e destaca que o clube conseguiu repor as perdas com as seis contratações realizadas até agora - o time se reforçou com De Arrascaeta, Fabiano, Felipe Seymour, Leandro Damião, Riascos e Joel.

"Acho que a gente perdeu grandes jogadores, mas também está sendo muito inteligente ao contratar jogadores de muita qualidade, de grupo. Todos estão muito motivados para manter essa família unida e conquistar muitos títulos", afirmou.

Após ser batido por 1 a 0 pelo Londrina no seu primeiro amistoso em 2015, o Cruzeiro volta a entrar em campo no próximo domingo para encarar o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. E apesar de ter enfrentado o adversário nas duas temporadas em que defendeu o Metalist, William disse que não será um "espião" do técnico Marcelo Oliveira.

"Todos sabem que tive uma temporada lá, mas não tenho muito que passar. O Shakhtar tem uma visibilidade muito grande, com vários brasileiros. É uma equipe de qualidade, que disputa a Champions League (Liga dos Campeões). O que ele for perguntar para mim é o que todos já sabem, é uma equipe que toca a bola e envolve muito fácil as outras equipes. A gente tem totais condições de fazer uma boa apresentação, vencer. Então, tem tudo para ser um jogo muito bacana", declarou.

Após esse amistoso, o Cruzeiro voltará as suas atenções para o Campeonato Mineiro. Willian garante que o time está animado pela possibilidade de faturar o bicampeonato e já pensa no duelo com o Democrata, em Governador Valadares, no dia 1.º de fevereiro.

"A expectativa é sempre boa, campeonato regional nunca é fácil. As outras equipes sempre querem mostrar o seu valor, o seu melhor. No Cruzeiro, a cobrança sempre vai ser grande. A responsabilidade sempre é dos grandes. A equipe está fazendo uma boa pré-temporada para conseguir o título também. A responsabilidade sempre vai existir, independente da competição. É uma coisa que o Marcelo nos fala muito: "só marca história quem ganha títulos" completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroWillian

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.