Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Wtorre compra grama extra para 'salvar' gramado do Allianz Parque

Construtora gasta R$ 18 mil para reparar danos causados por sequência de shows

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2016 | 06h00

Além do valor anual de R$ 1,3 milhão para a manutenção do gramado, a construtora WTorre gastou R$ 18 mil na compra de grama no interior de São Paulo para reparar trechos danificados no Allianz Parque em consequência dos shows do tenor italiano Andrea Bocelli. No início do ano, já haviam sido investidos R$ 300 mil na troca do piso, alvo de críticas dos jogadores em 2015. 

Cerca de 500 metros quadrados de grama, área equivalente a 5% do total do campo, foram trazidos de um viveiro em São José dos Campos. Na área central, a nova grama foi facilmente identificável, por causa das cores diferentes, na visita que o Estado fez à arena nesta quinta-feira.

“O gramado vai estar bem melhor. Não estará excelente e lindíssimo. Estará um bom gramado”, afirma Alexandre Costa, gerente geral da arena, sobre o que os jogadores do Palmeiras encontrarão domingo, na partida contra o Internacional.

Costa compara a evolução nos últimos dias. A grama que foi alvo de críticas dos palmeirenses após os jogos contra Grêmio e Sport, no mês passado, merecia nota 5 da administradora. Agora, ganha um 7 do executivo. 

O transplante não elimina totalmente os riscos de que se soltem tufos de grama, como ocorreu nas últimas partidas. Se isso ocorrer, o Palmeiras pode ter problemas para fazer a bola rolar. “Não sabemos como ele (o gramado) vai reagir no jogo. Nós achamos que vai levantar menos tufos. Mas existe o risco, por causa da transição da grama”, diz Costa. Transição da grama é o termo técnico para a passagem do tipo “inverno” para o “verão”. As duas espécies estão juntas, mas uma está crescendo e a outra, morrendo. 

O outro fator que prejudicou o gramado foi a agenda de shows. Foram dois de Andrea Bocelli e outro da banda Aerosmith em outubro. A apresentação de Mariah Carey, que seria dia 1.º, foi cancelada. Para alívio dos palmeirenses.

Na visão dos administradores, o piso estará nivelado, uniforme e não vai trazer diferenças na hora em que os jogadores pisarem ou quando a bola rolar. A qualidade do piso é importante por causa do estilo de jogo do Palmeiras, à base de toques. A irregularidade prejudica a troca de passes e a fluidez das jogadas. 

O Allianz Parque é a arena com gramado natural que mais recebe shows no mundo. Em 2016, foram 10 apresentações. O Met Life Stadium, em Nova Jersey (EUA), segundo colocado no ranking, sediou oito. Detalhe: tem gramado sintético. 

Até o final do Brasileiro, estão programadas duas exibições dos Guns N’ Roses (11 e 12 de novembro) no local. A empresa afirma que novos transplantes poderão ser realizados. 

DISCUSSÃO

A polêmica sobre o gramado é mais um capítulo da relação conturbada entre o Palmeiras e a WTorre. No modelo de parceria, a arena deve receber shows e jogos, o que traz conflitos de interesse em alguns momentos. No sorteio dos grupos do Paulistão, o presidente Paulo Nobre cobrou mais diálogo. Os administradores rebateram as críticas de falta de profissionalismo.

“Não podem colocar em questão o cuidado com o gramado. Nós estamos juntos. Para o negócio, é ótimo que o Palmeiras conquiste o título”, diz Costa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.