Karim Jaafar / AFP
Karim Jaafar / AFP

Xavi diz que Flamengo pode enfrentar Liverpool de igual para igual

Espanhol é o técnico do Al-Sadd, eliminado pelo Monterrey nas quartas de final do Mundial de Clubes

Redação, Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2019 | 04h30

Para Xavi Hernández, a emocionante partida entre sua equipe, o Al-Sadd, e os mexicanos do Monterrey neste sábado demonstra que o equilíbrio no futebol ainda existe, e, mais do que isso, apostou que o Flamengo pode ser competitivo contra o Liverpool, grande favorito ao título do Mundial de Clubes.

"O futebol está cada vez mais próximo. Tudo está muito nivelado, muito igual, já disse ontem na entrevista coletiva que todo mundo trabalha, todo mundo se analisa, e não creio que estejam em uma distância muito grande, uma equipe da Europa para uma equipe da América do Sul ou da América Central", analisou o ex-meiocampista espanhol.

"Creio que o Flamengo pode competir bem, evidentemente. Mas ainda tem o Al-Hilal, que é uma equipe muito boa. Pode surpreender. Então, creio que está muito parelho em todas as partes do mundo", afirmou, sem deixar um palpite claro para a semifinal do Mundial, que será realizada na próxima terça. No outro jogo, o Monterrey encara o Liverpool.

Xavi utilizou como exemplo a própria partida entre o time no qual é técnico e os mexicanos, que acredita ter sido decidida em detalhes. "Hoje, por exemplo, os erros pontuais significam muito no futebol. Muitas transições, jogadas de dois, três toques e sai o gol. Então, isso nos afetou muito hoje", opinou.

No jogo, o Monterrey abriu o placar com Vangioni e aumentou com Funes Mori, ainda no primeiro tempo. Bounedjah diminuiu na segunda etapa, mas Rodríguez voltou a dar uma distância confortável para o time mexicano. Aos 44 do segundo tempo, Hassan fez o segundo do Al-Sadd, que chegou a pressionar nos minutos restantes, mas a vaga na semifinal acabou mesmo com o Monterrey.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolXaviAl-SaddMundial de Clubes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.