Xeque é reeleito presidente da Confederação Asiática e assume como vice da Fifa

O xeque Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, do Bahrein, foi reeleito nesta quinta-feira presidente da Confederação Asiática de Futebol. Sem enfrentar qualquer oposição, ele também foi escolhido para ser um dos representantes da Ásia entre os vice-presidentes da Fifa. Tanto na entidade máxima do futebol quanto na Confederação Asiática ele ocupará os cargos pelos próximos quatro anos.

Estadão Conteúdo

30 de abril de 2015 | 10h33

No mesmo pleito, Confederação Asiática escolheu o xeque Ahmad Fahad Al Ahmad Al Sabah para representar a entidade no Comitê Executivo da Fifa. Considerado potencial candidato às eleições da Fifa em 2019, o kuwaitiano vai assumir a posição no Comitê por dois anos - o mandado geralmente dura quatro anos. A decisão é vista como manobra política para ganhar apoio visando o pleito de daqui a quatro anos.

Reeleito, o xeque do Bahrein permanecerá como presidente da Confederação Asiática após substituir Mohamed bin Hammam em 2013. O dirigente do Catar fora banido da Fifa sob acusação de corrupção. Na Fifa, Salman Bin Ebrahim vai ocupar a posição que pertencia ao príncipe jordaniano Ali bin Al Hussein. Ele era um dos vices da Fifa desde 2011. Em maio, será um dos rivais de Joseph Blatter nas eleições presidenciais da Fifa.

A reeleição do xeque Salman recebeu elogios de Blatter nesta quinta. O mandatário da Fifa, em período de campanha, destacou o "notável senso de organização e diplomacia", do presidente asiático. Para o suíço, a família real do Bahrein colocou o "barco da Confederação em águas que antes não estavam tão limpas", afirmou, em referência a Bin Hammam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.