Laurent Gillieron/EFE
Laurent Gillieron/EFE

Xhaka e Shaqiri são investigados pela Fifa por comemorações polêmicas

Suíços de origem kosovar provocaram os sérvios em vitória pelo grupo do Brasil

Estadão Conteúdo

23 Junho 2018 | 18h34

A Fifa anunciou neste sábado que o seu Comitê Disciplinar vai investigar os gestos de Granit Xhaka e Xherdan Shaqiri nas comemorações dos gols da Suíça na vitória sobre a Sérvia por 2 a 1, na sexta-feira, pelo Grupo E da Copa do Mundo. Ambos os jogadores, que tem origem em Kosovo, fizeram referência à bandeira da Albânia após marcarem os gols suíços.

+ Imprensa da Suíça critica gestos de apoio ao Kosovo feitos por Shaqiri e Xhaka

+ Albânia exalta homenagem dos jogadores suíços na comemoração contra Sérvia

As comemorações geraram rápida polêmica, ao fim da partida. A imprensa da Suíça, da Albânia e de Kosovo repercutiram os gestos neste sábado. E sérvios se mostraram indignados com os gestos. Xhaka e Shaqiri festejaram seus gols com as duas mãos formando uma águia sobre o peito. A ave aparece na bandeira albanesa.

A Fifa não informou quando o procedimento disciplinar será finalizado. E nem estabeleceu previsão de punição. A entidade condena qualquer manifestação política em campo. A seleção da Suíça não foi denunciada no caso.

Xhaka nasceu na Basileia, mas seus pais são de Kosovo. Seu pai foi preso político da ex-Iugoslávia por três anos e meio. Em 1986, ele participou de manifestações contra o governo comunista de Belgrado, hoje capital da Sérvia. O irmão de Xhaka também é jogador de futebol e defende a seleção da Albânia.

Shaqiri é de Kosovo. A Suíça ainda conta com um terceiro kosovar, o volante Behrami, que anulou Neymar no empate por 1 a 1 com a seleção brasileira. O meio-campista Blerim Dzemaili completa o quarteto "estrangeiro", pois é da Macedônia.

A maioria do povo kosovar é de origem albanesa. A região de Kosovo fica dentro do território da Sérvia e declarou independência em 17 de fevereiro de 2008. Os sérvios não reconhecem a independência e consideram Kosovo como parte do país.

 

A Fifa fez outras denúncias relacionados ao jogo envolvendo suíços e sérvios, pelo mesmo grupo do Brasil. A Sérvia vai encarar um painel disciplinar por conta de manifestações de conteúdo político por parte de sua torcida na Arena Kaliningrado.

Além disso, entidade máxima do futebol vai investigar o técnico da Sérvia, Mladen Krstajic, em razão de declarações dadas ao fim do jogo. A Fifa não revelou o conteúdo destas manifestações.

OUTRAS INVESTIGAÇÕES

A Associação de Futebol da Polônia foi multada em 10 mil francos suíços (cerca de R$ 38 mil) e ainda levou uma advertência devido a faixas de conteúdo "político e ofensivo" exibido por parte de sua torcida na partida contra Senegal, pelo Grupo H.

Já as federações da Argentina e da Croácia vão encarar um painel disciplinar em razão de distúrbios causados por seus torcedores nas arquibancadas do jogo entre as duas seleções, na quinta-feira, pelo Grupo D do Mundial - os croatas venceram por 3 a 0 e deixaram o rival sul-americano em situação complicada na chave.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.