XV de Jaú: filme dos 80 anos

Alunos de escolas públicas de Jaú foram levados, há algumas semanas, a uma experiência rara. Entraram em uma sessão gratuita de cinema para descobrir um passado que não conheciam: os anos de glórias do time de futebol da cidade. Hoje desprestigiado e sofrendo para armar um equipe competitiva na terceira divisão do futebol paulista, o XV de Jaú já foi um dos grandes do interior. Nesta segunda-feira, o clube completa 80 anos. E desde sexta, desfruta de um privilégio raro até entre os maiores clubes do País: um filme, em DVD e VHS, que eternize seus sucessos, craques, mitos e fracassos.XV de Jaú - 80 Anos de História (75 minutos), de Kleber Mazziero, traz entrevistas com ex-jogadores e pessoas ligadas ao clube. Dino Sani conta a campanha do título da segunda divisão do Paulista de 1951, que levou o XV à elite do Estado pela primeira vez. Afonsinho, ídolo em Jaú e no Botafogo do Rio, relembra como o zagueiro Japonês se virou para marcar Pelé. Pepe aparece dizendo como não gostava de jogar contra o XV, especialmente em Jaú. Para quem gosta de futebol, as histórias são prato cheio. Lembram não só de jogadores e lances famosos, mas de uma época na qual os grandes times mantinham seus jogadores por vários anos e as equipes do interior mobilizavam suas cidades.O documentário nasceu da paixão de um torcedor desta época. "Eu tinha 11 anos quando o XV subiu pela segunda vez, em 76", conta Mazziero. "Fiquei maluco. Abandonei ali o Santos de Pelé."O diretor, que já escreveu um livro sobre a vida de Afonsinho e outro sobre a de Ademir da Guia, conta que visitou 300 empresários de Jaú para buscar apoio. Conseguiu colaboração de quatro. "Eles diziam: Deus me livre. O XV? Eu não", afirma. "Hoje ninguém dá bola. O objetivo do filme é justamente resgatar o amor do cidadão ao seu clube. É contar como a gente foi, e, portanto, pode voltar a ser bom."O filme sobre o XV está em cartaz no Cine Municipal em Jaú. Fora isso, teve uma ou outra exibição em festivais pelo País. Para a festa de 80 anos do clube - o aniversário é segunda, mas a celebração foi nesta sexta-feira -, Mazziero lançou as versões em VHS e DVD. "Não vou ganhar nem um centavo com o filme, pelo contrário, mas valeu mesmo assim."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.