Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Yerry Mina se torna o zagueiro mais caro da história do Brasil

Negociação do colombiano com o Barcelona é a maior venda já realizada por time brasileiro por um jogador da posição

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

11 Janeiro 2018 | 07h00

A negociação de Yerry Mina ao Barcelona, sacramentada nesta quarta-feira, levou o agora ex-jogador do Palmeiras a um patamar raro para um estrangeiro no Brasil. O colombiano, ao ser negociado por cerca de R$ 48 milhões, chegou ao posto de zagueiro mais caro já vendido por algum clube nacional, ao superar a saída de Breno do São Paulo para o Bayern de Munique, em 2008.

+ Clube vende 10 mil ingressos antecipados para estreia

+ Palmeiras marca jogo treino-antes do Estadual

Na lista de defensores vendidos pelo Palmeiras para o exterior, Mina superou em valores o pentacampeão Roque Junior, vendido ao Milan no ano 2000, e Henrique, negociado com o Barcelona, em 2008. O colombiano vai render aos cofres do clube ao redor de R$ 38 milhões, após descontadas as parcelas as quais o Santa Fé, de Bogotá, tem direito.

Mina chegou ao Palmeiras em 2016. Foram 49 partidas e nove gols marcados, além do título brasileiro de 2016. O colombiano tinha acordo prévio para reforçar o Barcelona somente depois da Copa. No entanto, o clube catalão decidiu antecipar a chegada do colombiano, renegociar a transferência e contar com o reforço ainda nesta janela de transferências de janeiro.

O colombiano veio ao clube por cerca de R$ 12 milhões, bancados pelo então presidente, Paulo Nobre. Nas negociações realizadas pelo Palmeiras nesta década, a saída do colombiano só perde para a saída de Gabriel Jesus para o Manchester City, em 2016, por mais de R$ 120 milhões. Já entre os zagueiros, a maior venda recente era de Vitor Hugo. A Fiorentina pagou R$ 30 milhões pelo zagueiro em 2017.

O acordo final entre Barcelona e Palmeiras por Mina dependia do acerto em detalhes concluídos apenas nesta quarta. O clube paulista queria que os catalães pagassem o valor à vista e se comprometessem em bancar os R$ 2,2 milhões referentes ao mecanismo de solidariedade da Fifa.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Yerry Mina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.