Zagallo brinca com invasão argentina

"Passarela a gente passa por cima", com essa frase irônica e brincando o coordenador técnico da seleção brasileira, Zagallo, concluiu a explanação do técnico Carlos Alberto Parreira sobre a "invasão" argentina no Corinthians. Parreira não se mostrou preocupado com a presença dos portenhos, assim como repetiu o discurso de que o futebol brasileiro não precisa de treinadores estrangeiros, "mas o intercâmbio é salutar"."Todo bom jogador é bem-vindo, essa troca de experiências é boa. Assim como a presença do Passarella (Daniel, técnico do Corinthians), que vai trazer novas idéias, apesar de o futebol brasileiro ter profissionais competentes para comandar qualquer equipe", falou Parreira, sendo, em seguida, interrompido pela frase inóspita de Zagallo, que provocou o risos em toda comissão técnica, por causa da dualidade de sentido. Já que no Brasil o substantivo "passarela" é usado para denominar uma ponte construída sobre estradas, avenidas ou ruas.Depois da brincadeira, Zagallo afirmou que o atacante Robinho, do Santos, não pode ser comparado a Pelé. Frisou que o jogador, convocado nesta sexta-feira para as partidas contra o Peru, dia 27, em Goiânia, e Uruguai, dia 30, em Montevidéu, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006, tem muito a evoluir no futebol. "O Pelé teve um passado, presente e futuro. O Robinho só tem o presente. Nunca podemos fazer essa comparação", disse Zagallo. "E ele ainda não desenvolveu os três dons que o Pelé tem: o dom natural, a habilidade e o desenvolvimento técnico. Robinho é um bom jogador? É. O físico já desenvolveu, está fazendo gols e tem tudo para crescer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.