Zagallo: Zé Roberto faz papel do Gérson

?Nem quarteto, nem sexteto, mas quinteto!? Para o coordenador-técnico Zagallo, a inspiração para o atual esquema tático da seleção brasileira está no time do tricampeonato mundial. ?O Zé Roberto é o nosso quinto homem e essa formação veio da Copa da 1970, quando o Gérson era o meu quinto jogador?, contou nesta quinta-feira, no Rio, durante a convocação para os amistosos do Brasil em novembro, no Oriente Médio.De acordo com Zagallo, ao substituir João Saldanha no comando da seleção que foi para a Copa de 1970, sua intenção era de escalar o time com um ponta-de-lança, já que a formação até então usada era o 4-2-4, considerada por ele,ultrapassada. Por isso, desconvocou Dirceu Lopes e Zé Carlos e chamou Roberto Miranda e Dario.Mas, ao montar o time com Tostão, Jairzinho, Pelé e Rivelino, o então técnico Zagallo conseguiu fazer com que Gérson passasse a ter liberdade para atacar. O mesmo, segundo ele, que ocorre hoje com o quadrado formado por Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Ronaldo e Adriano, deixando Zé Roberto ser ?o quinto homem? - ou seja, marcando e também tendo liberdade para atacar.?A seleção não vinha bem até que testamos essa formação contra Hong Kong. Ali adotamos pela primeira vez o quinteto com o Zé Roberto e o quadrado formado por Robinho, Ricardo Oliveira, Juninho Pernambucano e Ronaldinho Gaúcho?, lembrou Zagallo. Nesse jogo, em fevereiro passado, o Brasil venceu por 7 a 1.

Agencia Estado,

27 de outubro de 2005 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.