Ronald Wittek/EFE
Ronald Wittek/EFE

Zagueiro da Alemanha nega racha no elenco: 'Nos sentimos unidos em campo'

Imprensa europeia tem falado em um possível desentendimento entre os remanescentes do título Mundial em 2014 e a nova geração

Ciro Campos, enviado especial/Sochi, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2018 | 09h50

O zagueiro Mats Hummels, da Alemanha, afirmou nesta quinta-feira que a equipe reunido para a Copa do Mundo da Rússia não sofre com problemas internos de relacionamento. A imprensa alemã publicou que o elenco atual estava com desavenças, problema que contribuiu para a atuação ruim nos amistosos e também na estreia, no último domingo, quanto os atuais campeões mundiais perderam por 1 a 0 para o México, em Moscou.

+ Brasil reencontra Costa Rica após batê-la em 2015 com 8 convocados para esta Copa

+ Emre Can passa por exames médicos na Juventus e deve reforçar clube italiano

+ Thiago Silva será o capitão da seleção brasileira contra a Costa Rica

"Nós nos sentimos unidos, com os 11 no gramado. Temos vários líderes no nosso elenco. São nove remanescente de 2014 que têm experiência para nos ajudar", afirmou Hummels. A Alemanha desembarcou em Sochi na terça-feira para começar a preparação para o jogo com a Suécia, no sábado. Em caso de nova derrota, a equipe pode ser eliminada da competição ainda na primeira fase.

O técnico Joachim Low comandou um treino na manhã desta quinta, no horário russo, e antes dele alguns jogadores participaram de uma zona mista. Mesmo fluentes em outros idiomas, os atletas pediram apenas para falar em alemão, para facilitar o entendimento das entrevistas em um momento bastante delicado da equipe nesta Copa do Mundo.

"Temos que pensar de forma construtiva. Acho que tivemos algumas fraquezas naquele jogo. Já alcançamos uma relativa estabilidade defensiva. Acho que esse problema conseguimos resolver. Faltou para nós equilíbrio contra o México", afirmou Hummels, zagueiro titular da conquista da Copa no Brasil, em 2014, e um dos líderes do elenco alemão.

 

A imprensa alemã publicou que o elenco atual vive um racha entre os remanescentes do título no Mundial anterior e a nova geração. Apesar de negar o problema, a seleção alemã antecipou em dois dias a viagem para Sochi, local da partida de sábado, por entender que era necessário mudar de ambiente. A concentração original da equipe é em Vatutinki, nos arredores de Moscou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.