Washington Alves/Divulgação
Washington Alves/Divulgação

Zagueiro Dedé pede apoio para superar má fase no Cruzeiro

Jogador fez gol contra na derrota do líder diante do Flamengo, não passa bom momento e cobra um voto de confiança dos torcedores

Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2014 | 13h25

Apontado como um dos responsáveis pela derrota do Cruzeiro para o Flamengo por 3 a 0, no último domingo, pela 28º rodada do Campeonato Brasileiro, ao marcar um gol contra no Maracanã, o zagueiro Dedé admitiu que está em má fase, mas prometeu trabalhar para retomar o seu alto nível de atuações.

"É uma situação complicada, se você deixar a fase ruim te incomodar, é pior para o jogador, pois o rendimento do atleta só tende a piorar até o jogador desistir. Mas eu não irei desistir, farei de tudo para que o Cruzeiro conquiste esse título. Seguirei de cabeça erguida, confiante em tudo que eu fizer. Fico triste com esse momento", disse.

Assim, preocupado com o seu momento, Dedé pediu um voto de confiança do torcedor do Cruzeiro para se recuperar. "Peço apoio dos torcedores cruzeirenses, nunca fiz isso na minha carreira, espero que eles possam entender que estou dando o meu melhor, fazendo a minha parte, mas estão acontecendo infelicidades. Conto com a força deles, assim como tem sido durante todos esses anos. Com a ajuda do torcedor, a gente joga melhor e a fase ruim do atleta se afasta. O nosso time precisa disso para que tenhamos mais coisas positivas do que negativa", afirmou.

Dedé, porém, negou a possibilidade de se abalar com o erro cometido diante do Flamengo. "Não irei me abalar porque sou um cara que já tem muita rodagem no futebol e experiente, apesar de ser novo. Já joguei com muitos jogadores que cometeram essa mesma falha e eles me alertaram que isso um dia poderia acontecer comigo. Infelizmente aconteceu contra o Flamengo. Foi um erro que prejudicou muito o Cruzeiro e me prejudicou também", comentou.

O zagueiro, inclusive, classificou seu erro como uma fatalidade e avaliou que não cometeu outros vacilos no último domingo. "Eu estava bem na partida, não cometi nenhuma falha além dessa. Estou confiante, porque acho que foi uma fatalidade esse gol contra, o primeiro na minha carreira. Tentei cortar a bola, fazer minha parte para ajudar o Cruzeiro", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroDedé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.