Zagueiro do Genoa é suspenso por 18 meses em caso de manipulação de resultados

Armando Izzo deverá pagar multa de 50 mil euros por não ter denunciado prática ilegal

Estadao Conteudo

12 de abril de 2017 | 11h38

O zagueiro Armando Izzo, do Genoa, foi punido nesta quarta-feira com uma suspensão de 18 meses por seu envolvimento em um escândalo de manipulação de resultados na Itália. O jogador de 25 anos recebeu a sanção e ainda uma multa de 50 mil euros (cerca de R$ 167 mil) por não ter denunciado a prática ilegal ocorrida em uma partida do Avelino, seu ex-time, pela segunda divisão do Campeonato Italiano.

A Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla em italiano) havia pedido anteriormente por uma suspensão de seis anos a Izzo, mas o gancho aplicado pelo tribunal que julgou o caso acabou sendo de apenas 18 meses.

Izzo, que mesmo assim deverá apelar contra a decisão, foi convocado anteriormente para defender pela primeira vez a seleção italiana em novembro do ano passado, quando entrou na lista de jogadores chamados para duelo diante de Liechtenstein, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, e para um amistoso contra a Alemanha.

Dois jogos da temporada 2013/2014 da Série B do Italiano estão sob investigação, sendo uma delas a que terminou com vitória do Modena sobre o Avelino, por 1 a 0, em 17 de maio de 2014. A outra é um duelo no qual o Avelino derrotou o Reggina por 3 a 0, no final de semana seguinte.

Os resultados destes confrontos teriam sido manipulados para beneficiar apostas ilegais e, após a denúncia das irregularidades, vários membros da "Camorra", a famosa máfia de Nápoles, foram presos em uma operação que marcou o combate a este tipo de crime praticado na segunda divisão italiana.

Nascido em Nápoles, Izzo iniciou a sua carreira profissional pelo próprio Napoli, em 2011, mas não chegou a atuar pelo time principal do clube, que o emprestou ao Triestina antes de em seguida ele se transferir para o Avelino em 2012. Em 2014, o atleta foi contratado pelo Genoa, sua equipe atual.

Izzo chegou ao time de Gênova após se destacar como zagueiro do Avelino e, pelo bom desempenho no time genovês, ele acabou chegando à seleção italiana, mas o atleta ficou apenas como opção de banco nas partidas com a equipe nacional.

Francesco Millesi, ex-capitão do Avellino, e o já aposentado jogador Luca Pini receberam uma suspensão de cinco anos nesta quarta-feira por envolvimento neste escândalo de manipulação de resultados, enquanto Fabio Pisacane, defensor do Cagliari que também atuou pelo Avellino, foi absolvido das acusações contra ele, assim como aconteceu com o presidente do clube e outros ex-jogadores da equipe.

O Avellino, por sua vez, foi punido com a perda de três pontos na segunda divisão do Campeonato Italiano, que o clube disputa nesta temporada do futebol nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
Futebol interncacionalfutebolGenoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.