Lindsey Parnaby/EFE
Lindsey Parnaby/EFE

Zagueiro do Newcastle pede desculpas por lesionar Nasri

Mapou Yanga-Mbiwa afirma que não teve intenção de machucar o meia do Manchester City

AE-AP, Agência Estado

14 de janeiro de 2014 | 16h01

PARIS - O zagueiro Mapou Yanga-Mbiwa, do Newcastle, garantiu nesta terça-feira que não teve a intenção de machucar Samir Nasri no último domingo, quando ele derrubou o meia francês, do Manchester City, durante partida do Campeonato Inglês. Nasri ficará fora por oito semanas após sofrer rompimento parcial dos ligamentos do joelho durante o segundo tempo da vitória do City por 2 a 0. Ele também ficou com o joelho inchado.

Yanga-Mbiwa foi criticado pela sua ação contra Nasri, que tentava disparar com a bola e acabou sendo derrubado na segunda tentativa do seu marcador de detê-lo. O técnico do City, Manuel Pellegrini, defendeu que o jogador deveria ter sido expulso. E até o pai do meia francês o criticou.

"Foi mais um caso de tentar derrubá-lo, mas não houve qualquer maldade", disse Yanga-Mbiwa, ao jornal esportivo francês L'Equipe, nesta terça-feira. "Ele pegou a bola e eu simplesmente queria detê-lo, desequilibrá-lo, e ele caiu. Ele ficou de pé após a primeira entrada e caiu depois da segunda. Mas eu certamente não tinha a intenção de machucá-lo".

Mbiwa tentou falar com Nasri depois do jogo. "Eu fiquei na frente do vestiário, mas ele estava recebendo tratamento. Então eu voltei e ele estava no chuveiro. Depois disso eu tentei por todos os meios possíveis obter o seu número de telefone", disse Yanga-Mbiwa, que já disputou três partidas pela seleção da França. "Eu liguei para ele várias vezes, mas não houve resposta. Deixei uma mensagem, tentei novamente, mas não falei com ele ainda. Eu vou tentar de novo, porque gostaria de pedir desculpas pessoalmente".

Inicialmente, existia o temor de Nasri perdesse o restante da temporada e também a Copa do Mundo, o que não acontecerá. "Eu me senti aliviado quando soube (que não foi muito grave)", garantiu Yanga-Mbiwa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.