Felipe Trueba/EPA/EFE
Felipe Trueba/EPA/EFE

Zagueiro pede Polônia com outra atitude contra a Colômbia

Para Michal Pazdan, a seleção polonesa estava irreconhecível na derrota para Senegal na estreia da Copa do Mundo da Rússia

Estadão Conteúdo

22 Junho 2018 | 20h40

O zagueiro Michal Pazdan afirmou nesta sexta-feira que a Polônia esteve irreconhecível na derrota para Senegal, na estreia da Copa do Mundo da Rússia, pelo Grupo H. Agora, o foco está voltado para a partida diante da Colômbia, neste domingo, às 15 horas (de Brasília), em Kazan.

+ Sob pressão após derrota, Polônia teme eliminação diante da Colômbia

+ Irritado, Lewandowski afirma que erros da defesa foram fatais para a Polônia

+ Apesar de derrota, técnico da Polônia crê na classificação: 'Vamos nos recuperar'

"Contra Senegal, não atuamos como uma seleção nacional polonesa, não é assim que costumamos jogar", disse o jogador de 30 anos, do Legia Varsóvia. "Nós sofremos dois gols estranhos. Mas agora não há mais o que falar sobre esse jogo, nem pedir desculpas", continuou o defensor, em entrevista ao site da Fifa.

Michal Pazdan frisou que o primeiro jogou serviu de aprendizado e que a seleção terá outra atitude contra os colombianos. "Não é hora de falar. É hora de mostrar que somos a Polônia e que podemos jogar um bom futebol", pontuou o zagueiro, um dos destaques do time na campanha da Eurocopa em 2016, o que lhe rendeu o apelido de "ministro da defesa".

Já o volante Grzegorz Krychowiak disse que só resta aos poloneses buscar os três pontos. "Neste momento eu posso dizer que o jogo contra a Colômbia será o meu o jogo mais importante pela equipe nacional, mas depois, se formos bem sucedidos, o outro jogo (contra o Japão) se tornará ainda mais importante. A Colômbia é uma equipe muito difícil, mas podemos vencer", comentou o jogador de 28 anos, do Paris Saint-Germain.

 

O zagueiro Kamil Glik, que se recupera de uma lesão no ombro esquerdo, treinou nesta sexta-feira, mas ainda não sabe se estará em condições de ser opção do técnico Adam Nawalka para o jogo de domingo. Os colombianos vêm de derrota para o Japão por 2 a 1.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.