Divulgação
Divulgação

Zagueiro Rodrigo Caio desiste do Valencia e deve voltar ao Brasil

Divergência interna do clube faz jogador cancelar transferência

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2015 | 11h43

A ida do zagueiro Rodrigo Caio do São Paulo para o Valencia, da Espanha, está cancelada e o jogador deve retornar ao Brasil ainda nos próximos dias para aguardar qual será o seu destino. O Estado apurou que o atleta desistiu de ficar no clube europeu pela divergência interna sobre a sua contratação como reforço de R$ 44 milhões para a próxima temporada.

A gota d'água para o fim da transferência de Rodrigo Caio foi nesta segunda-feira. O dono do clube, Peter Lim, demitiu o diretor-técnico do equipe, o ex-jogador Rufete, por não ter ido ao aeroporto receber o zagueiro. Fora os dois dirigentes, a contratação também gerou desgaste entre o treinador do time, o português Nuno Espírito Santo, defensor do reforço, e o presidente Amadeo Salvo, contrário à vinda do brasileiro.

Rodrigo Caio se sentiu desconfortável com as divergências no clube e temeu ser prejudicado caso continuasse no Valencia. O zagueiro desembarcou na Espanha na última semana e precisou ser submetido a dois exames médicos no joelho para que fosse atestada a sua condição física.

O último resultado foi divulgado nesta segunda-feira e assim como a avaliação anterior, liberou o jogador. Outro contratempo enfrentado pelo são-paulino foi a falta de acordo entre seus empresários sobre a divisão do pagamento de comissões.

As pendências encontradas pela falta de unanimidade no clube pela chegada do reforço fizeram Rodrigo Caio cogitar uma viagem para a capital do país, onde negociar com o Atlético de Madrid. O time também havia feito uma proposta por ele e perdeu a concorrência porque pagaria os mesmos R$ 44 milhões que o Valencia divididos em parcelas e não com depósito à vista.

Com o imbróglio, o jogador deve retornar ao Brasil e tem a reapresentação esperada pelo São Paulo. O clube do Morumbi também negociou nos últimos dias outros jogadores do setor defensivo, como Paulo Miranda para o Red Bull Salzburg e Denilson para o Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.