Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

Zé Ricardo admite a possibilidade de escalar Damião e Guerrero como titulares

Time carioca enfrenta a Chapecoense neste domingo fora de casa

Estadão Conteúdo

26 Agosto 2016 | 18h17

O técnico Zé Ricardo ainda não confirmou a escalação do Flamengo para encarar a Chapecoense neste domingo, na Arena Condá, pelo Campeonato Brasileiro, mas deixou no ar a possibilidade de uma mudança. Nesta sexta-feira, o treinador admitiu que pode levar o time a campo desde o início com dois centroavantes no comando do ataque: Guerrero e Leandro Damião.

"É uma possibilidade. Já fizemos treinamentos com essa formação. Temos o retorno dele (Guerrero) para o Brasileirão e o Leandro Damião à disposição. Não descarto essa possibilidade, pois são dois grandes jogadores. Temos que pensar bem pelas características do adversário", declarou.

Damião fez seu primeiro jogo como titular pelo Flamengo e foi um dos destaques do triunfo do último fim de semana contra o Grêmio. Guerrero, que estava suspenso, voltou a ser titular na derrota de quarta-feira para o Figueirense, pela Sul-Americana, e Damião foi para o banco. As boas opções, tanto no ataque quanto no resto do time, foram celebradas por Zé Ricardo.

"A importância (do elenco) é muito grande. Desde o momento que o Flamengo se dispôs a montar um grupo qualificado, sabíamos que teríamos que usar as peças. Sabíamos desse afunilamento das competições e o desgaste é muito grande. Em algum momento teríamos que fazer o elenco rodar. Agora, é foco total na Chapecoense para seguirmos bem na competição", comentou.

Com o Flamengo na quarta posição do Brasileirão, com 37 pontos, Zé Ricardo exaltou a importância da vitória neste domingo para não desgarrar das primeiras colocações. "Temos a intenção de pontuar aqui em Chapecó. Por isso tivemos cuidado de rodar jogadores por conta desses jogos seguidos (quarta e domingo). Às vezes não dá certo, mas temos que seguir convictos do que planejamos. Agora, é pensar na Chapecoense, fazer um bom jogo e sair daqui com um resultado bom."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.