Paulo Fernandes / vasco.com.br
Paulo Fernandes / vasco.com.br

Zé Ricardo critica ansiedade do Vasco, mas celebra fim do jejum de atacantes

Virada sobre o Macaé contou com gols de Andrés Rios e Riascos

Estadão Conteúdo

02 Março 2018 | 09h10

O Vasco precisou suar muito, mas derrotou o Macaé na noite de quinta-feira, em São Januário, em jogo atrasado da primeira rodada da Taça Rio. Depois de um primeiro tempo muito ruim, o time cruzmaltino se recuperou na etapa final para fazer 2 a 1, o que não impediu que o técnico Zé Ricardo apontasse os defeitos da atuação.

+ Zé Ricardo diz que conversa com família pesou em permanência no Vasco

+ Vasco divulga previsão de retorno dos lesionados Breno, Ramon e Kelvin

"A nossa palavra antes do jogo foi muita energia e acabou que entramos ansiosos porque queríamos a vitória, mas erramos bastante na parte técnica e demos ao Macaé aquilo que queria, que era jogar em bolas esticadas para os alas. Acalmamos a equipe no intervalo e reposicionamos alguns jogadores. A concentração e a persistência foram fundamentais no segundo tempo", declarou.

O triunfo só foi possível porque dois dos jogadores mais cobrados pela torcida nesta temporada balançaram a rede. Andrés Rios foi o responsável pelo primeiro gol do Vasco, apenas o seu segundo na temporada. Já Riascos marcou o heroico gol da vitória aos 50 minutos da etapa final, o seu primeiro gol neste retorno ao time cruzmaltino.

"Foi importante eles marcarem, até porque atacante vive de fazer gols. O Andrés é um trabalhador, um cara impressionante, ajuda muito a nossa plataforma de jogo. É um jogador que não desiste. O Riascos está recuperando a boa forma e acredito que vai melhorar com o decorrer dos jogos. O gol foi importante para eles ganharem confiança e recuperarem a autoestima", disse Zé Ricardo.

O Vasco volta a campo domingo, diante do Boavista, pela Taça Rio, mas no clube ninguém esconde a ansiedade pela estreia na fase de grupos da Libertadores, contra o a Universidad de Chile no dia 13. "Iremos iniciar em breve nossa participação na fase de grupos. Essa fase da Libertadores é dura. Batalhamos muito para chegar e queremos estar em nosso melhor nível possível. Colocam o Vasco como azarão nesse chave, mas acredito bastante no meu grupo", avaliou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.