Paulo Fernandes/Vasco
Paulo Fernandes/Vasco

Zé Ricardo diz que Vasco foi ao limite, mas admite a frustração: 'Dor é grande'

Equipe cruzmaltina venceu o primeiro duelo por 3 a 2, mas acabou cedendo no segundo encontro e perdeu a disputa por pênaltis

Estadão Conteúdo

08 de abril de 2018 | 20h06

O técnico Zé Ricardo ficou muito perto de conquistar o seu primeiro título à frente do Vasco. Mas a taça do Campeonato Carioca escapou aos 49 minutos, quando o time sofreu o gol de Joel Carli e, depois, com as duas defesas de Gatito Fernández nos pênaltis. Abatido, o comandante vascaíno disse que a equipe foi ao limite e reconheceu a frustração em perder o título do Estadual.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Carli faz no último lance, Gatito pega dois pênaltis e Botafogo fatura o Carioca

+ Leia mais notícias sobre o Vasco

"Duro, uma derrota nos pênaltis que valeu um título. Sempre complicado perder da forma que foi. Mas precisamos enaltecer nossa entrega, os atletas foram no limite, posso garantir. Não temos do que reclamar", garantiu o treinador, que, porém, admitiu a tristeza pela perda. "Queríamos muito esse titulo. A dor é grande, todos tem que sentir. Estamos machucados, mas a vida precisa continuar. A dor precisa ser sentida, pra aprender com ela. São homens de caráter, estamos no caminho certo", acrescentou.

Zé Ricardo lembrou dos jogadores da grande mudança no elenco vascaíno, em meio a chegadas antes e depois da conturbada eleição para presidente do clube, e lamentou não ter conseguido vencer o Estadual, que era um objetivo traçado em São Januário.

"Tivemos uma mudança substancial de um ano para o outro, perdemos muitas peças, mas ganhamos também. Eu reuni o grupo no inicio do ano e falei que os objetivos era a classificação para a fase de grupo e o campeonato estadual, infelizmente não conseguimos esse segundo objetivo", afirmou o treinador.

Quanto à possível chegada de novos jogadores, Zé Roberto citou Kelvin e Breno, que estão retornando de lesão, para valorizar o elenco e dizer que os reforços serão as voltas dos jogadores que estão machucados. "Acho que os reforços estão dentro do clube. Breno, Ramon, Kelvin, Marcelo Mattos, Paulinho, Rildo. Giovanni (Augusto). Todo clube grande busca opções, mas, antes de qualquer análise de mercado, vamos dar bastante força ao nosso grupo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.