Gilvan de Souza/Estadão
Gilvan de Souza/Estadão

Zé Ricardo elogia 'maturidade' do Flamengo e lamenta confusão fora de campo

Duelo entre torcedores antes do clássico no Engenhão resultou na morte de um torcedor

Estadao Conteudo

13 Fevereiro 2017 | 09h50

O técnico Zé Ricardo exibiu satisfação com a atuação do Flamengo na vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, neste domingo à noite, no Engenhão, no clássico no qual a sua equipe assegurou classificação à semifinal da Taça Guanabara, esta primeira fase do Campeonato Carioca. O treinador ressaltou que o resultado provou que o seu time está maduro para buscar grandes objetivos na competição e na própria temporada.

"O time (misto) que o Botafogo levou a campo criou responsabilidade muito grande (de vitória para o Flamengo), mas vi maturidade em nossa equipe. Gostei do que vi no primeiro tempo, com o time tentando quebrar a linha de quatro jogadores (botafoguenses). O gramado estava um pouco duro, irregular, e o Botafogo tirou bem os espaços. Tivemos dificuldades por causa da alta mobilização do adversário", analisou o comandante.

Zé Ricardo também minimizou o peso do fato de o Flamengo ter sofrido pressão do Botafogo na etapa final, fato que ele creditou ao aspecto físico ainda não ideal da equipe neste início de temporada. "Sabíamos que a partir desse jogo poderíamos ter um desgaste mais acumulado. No segundo tempo, diminuímos nosso ritmo e o Botafogo cresceu na partida. Já vínhamos sinalizando que a partir da próxima semana teríamos os atletas de forma mais inteira", enfatizou.

O treinador também celebrou o fato de Éverton ter marcado, aos 20 minutos do segundo tempo, o gol que deu a vitória ao Flamengo justamente no clássico em que o atacante completou uma marca importante de partidas pelo clube. "Tenho que parabenizá-lo. Foi campeão aqui, encarna muito bem o significado de ser rubro-negro. É extremamente participativo, está sempre bem disposto. Éverton demonstra uma regularidade muito grande e fico feliz por ele ter feito o gol da vitória o dia dos seus 200 jogos pelo clube", afirmou o técnico.

VIOLÊNCIA - A noite de domingo, porém, não foi só de comemorações para Zé Ricardo, que lamentou os tristes episódios de violência entre torcedores que antecederam o clássico no Engenhão e acabaram resultando na morte do botafoguense Diego Silva dos Santos, de 28 anos, baleado durante os conflitos que deixaram também outros feridos no Rio.

"Lamentável. A gente percebeu que teve alguma coisa estranha, porque nosso ônibus diminuiu bastante a velocidade para chegar aqui. Não entendemos, mas depois percebemos que era para evitar o confronto. Ficamos profundamente entristecidos, não consigo ver o esporte dessa forma. Futebol é o grande entretenimento do povo brasileiro, esporte mais amado mundialmente. Um caso desse me deixa muito triste. Não foi o primeiro e, provavelmente, não vai ser o último. Espero que a família desse torcedor seja tranquilizada e abençoada para passar por esse momento difícil", ressaltou Zé Ricardo, na entrevista coletiva dada no final da noite de domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.