Zé Ricardo evita reclamações contra árbitro, mas admite prejuízo ao Fla

Técnico também elogiou Renê e Marcelo Cirino

Estadao Conteudo

27 de março de 2017 | 08h54

Apesar da arbitragem equivocada de Luis Antonio Silva dos Santos, o técnico Zé Ricardo evitou críticas diretas e reclamações contra o juiz, ao fim do empate do Flamengo com o Vasco, por 2 a 2, no estádio Mané Garrincha. O treinador, contudo, admitiu o prejuízo, por se tratar de clássico.

"Nos sentimos um pouco prejudicados por se tratar de um clássico, de uma rivalidade grande, mas parabenizo nossos atletas pelo espetáculo. Hoje, infelizmente, a vitória não veio por aspectos não relacionados ao jogo", comentou o treinador.


No polêmico lance, Nenê tentou cruzar dentro da área e a bola acertou a barriga de Renê. O árbitro, porém, anotou a penalidade, aos 47 minutos do segundo tempo. Na cobrança do pênalti, o próprio Nenê empatou o clássico. "A gente viu que não foi pênalti, ninguém precisou falar para mim. Nitidamente a bola bateu na barriga do Renê, não tinha dúvida nenhuma", disse Zé Ricardo.

Para o técnico, a participação de Renê no lance que causou o empate não tira os méritos do lateral na partida. "Isso não muda em hipótese nenhuma a avaliação que nós temos do atleta. É um jogador extremamente dedicado, que está muito bem na posição. A evolução do Renê é nítida. Melhor para o Flamengo, que certamente terá um atleta sempre motivado buscando a sua condição", declarou.

Outro atleta que mereceu elogios do treinador foi Marcelo Cirino, que voltou ao time após 50 dias. Ele entrou em campo no decorrer do clássico. "Sabemos que o Marcelo é um jogador que tem qualidades específicas que são muito importantes para o futebol de hoje. Ele está muito motivado com essa nova oportunidade que está tendo no clube. Enquanto ele estiver aqui, segundo suas próprias palavras, ele vai se doar ao máximo. Vai depender única e exclusivamente do dia a dia dele para mostrar que pode voltar a ser titular da equipe", afirmou o técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.