Vitor Sivla / SS Press / Botafogo
Vitor Sivla / SS Press / Botafogo

Zé Ricardo prega calma para Botafogo buscar recuperação após dura derrota

Técnico crê que desgaste físico após partida eliminatória foi decisiva para equipe cair de rendimento no segundo tempo diante do Atlético

Estadão Conteúdo

20 Agosto 2018 | 08h34

O técnico Zé Ricardo prega calma para buscar a recuperação do Botafogo no Brasileirão, após a dura derrota para o Atlético-MG por 3 a 0, no domingo, pela 19ª rodada. Ao fim da partida, o treinador admitiu que a equipe carioca poderia até ter sofrido mais gols, tal foi a atuação aquém do esperado no segundo tempo do duelo disputado no Engenhão.

"Temos que ter calma e teremos dois jogos difíceis. Temos que começar bem o returno", diz o treinador, referindo-se aos jogos contra Palmeiras e Sport, nas próximas rodadas do Brasileirão. O primeiro será na quarta-feira e o segundo jogo, no sábado, pelas duas primeiras rodadas do segundo turno.

Até lá, o técnico terá tempo de recuperar o seu time e entender por que o Botafogo caiu tanto de rendimento na etapa final. "No segundo tempo, não tem o que esconder, ficamos muito abaixo. Contra uma equipe como essa, erramos. E eles podiam ter feito até mais", reconheceu.

Zé Ricardo acredita que o desgaste físico da equipe, que venceu o Nacional por 2 a 0, na noite de quinta-feira, pela Copa Sul-Americana. "Quinta-feira exigiu bastante, contribui um pouco, tem o desgaste, e isso apareceu no segundo tempo. Os erros aparecem, e a equipe do Atlético aproveitou."

O desgaste, na opinião do treinador, acabou gerando problemas físicos e preocupação para a sequência do campeonato. Foi o caso, por exemplo, de Rodrigo Lindoso, que deixou o gramado lesionado no segundo tempo.

"Infelizmente, o que aconteceu com Lindoso fez fugir do que pensávamos. Todo atleta brasileiro sofre com o calendário estafante como o daqui, e isso pode colocar os atletas numa condição dessa. Invariavelmente os atletas correm o risco. Sentiu uma pontada, parece que no músculo anterior", afirmou o técnico, que agora aguarda avaliação do departamento médico.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.