Zé Ricardo se diz fã de Caio Júnior e lembra recepção 'carinhosa' da Chape

Técnico do Flamengo não escondeu a emoção com a tragédia

Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2016 | 20h57

Sem esconder o abatimento pela tragédia que atingiu o time da Chapecoense, o técnico do Flamengo, Zé Ricardo, lamentou o acidente que matou 19 jogadores da equipe catarinense, em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira, após o treino do time carioca. Ele disse ser fã do trabalho de Caio Júnior, técnico da Chapecoense até o acidente aéreo na Colômbia, e recordou a boa recepção dos catarinenses quando o Flamengo foi jogar em Chapecó neste Brasileirão.

"Tive uma experiência pequena, mas positiva com relação à Chapecoense. Fomos jogar lá em Santa Catarina na semana da nossa estreia na Sul-Americana, contra o Figueirense no Orlando Scarpelli, e de lá fomos direto para Chapecó. Meu primeiro susto foi ao saber que faríamos nossa preparação no CT deles. Eles nos cederam o espaço de uma maneira muito carinhosa. Então, a primeira impressão foi extremamente positiva. Conhecendo a cidade e seu povo, o clube se mostrou muito diferente com relação à sua maneira de enxergar o futebol", recordou o treinador do Flamengo.

Zé Ricardo também revelou ser fã do trabalho de Caio Júnior, que também morreu na tragédia. "No dia da partida especificamente, estávamos no vestiário antes de começar o aquecimento e do vestiário da Chapecoense surgiu o Caio Júnior. Mesmo sem conhecê-lo pessoalmente, fomos um ao encontro do outro e ele me desejou boa sorte, me deu os parabéns por tudo o que vínhamos fazendo", afirmou.

"Ele foi muito gentil e a recepção foi a melhor possível. Foi um papo curto, mas que percebia muita sinceridade em suas palavras. A partir desse momento ele ganhou mais um fã. Estávamos torcendo muito para a Chapecoense nesta final e, infelizmente, aconteceu tudo isso. Só tenho que parabenizar a Chapecoense por tudo que eles conseguiram e torcer para que eles se reergam o mais rápido possível, tão ou mais fortes do que estavam", declarou.

Para Zé Ricardo, a tragédia da Chapecoense deve ficar marcado no mundo do futebol por muito tempo. "É um momento muito triste, uma verdadeira tragédia. Nos solidarizamos bastante pela perda dessas 71 pessoas, com todos os seus familiares e amigos. É um fato que ficará marcado em nossas vidas por muito tempo. Nossos sorrisos foram congelados essa semana. Não conseguimos nos concentrar 100% no trabalho, pois é impossível ficar alheio ao que aconteceu."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.