Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Zé Ricardo vê 'vantagem pequena' e projeta dificuldade para o Botafogo na quarta

Técnico alerta para partida complicada contra o Defensa y Justicia, pela Copa Sul-Americana

Redação, Estadão Conteúdo

18 de fevereiro de 2019 | 16h18

Depois de vencer por 1 a 0 na ida, no Engenhão, o Botafogo visita o Defensa y Justicia nesta quarta-feira, em Buenos Aires, em busca da vaga para a segunda fase da Copa Sul-Americana. Nesta segunda, o técnico Zé Ricardo avaliou a vantagem alvinegra como "pequena" e previu bastante dificuldade diante da principal surpresa do Campeonato Argentino.

"Ficou evidente que teremos um adversário difícil pela frente. Uma equipe que vem fazendo um excelente Campeonato Argentino e não esperamos nada diferente disso lá. Estamos treinando bem e vamos para tentar nos impor. A vantagem que temos é pequena e se o Botafogo não buscar jogar as dificuldades serão maiores. Com muito respeito ao adversário, mas teremos um Botafogo com muita vontade de avançar de fase", declarou.

A análise de Zé Ricardo não é à toa. Afinal, o Defensa y Justicia é o único invicto do Campeonato Argentino após 19 partidas e lidera a competição. Nas últimas 24 partidas disputadas, foram apenas duas derrotas, incluindo a do Engenhão para o Botafogo.

"Aqui mesmo, na quarta-feira passada, a gente não se lançou ao ataque de qualquer maneira por saber da qualidade deles. Eles têm uma chance clara de título no Campeonato Argentino, respeitamos, mas também buscamos o jogo. Tivemos uma pequena evolução e agora contamos com a concentração de todos os atleta, o que conta demais numa partida tensa. Precisamos ter os nervos no lugar para levarmos a classificação para o Brasil", avaliou.

O treinador só lamentou a ausência de Joel Carli, que sofreu uma torção no joelho diante do Campinense e foi vetado. Ele será substituído por Marcelo. "Foi uma fatalidade e todos os atletas estão passíveis a isso. Infelizmente, sentiu um problema no joelho. Pediu para viajar com a gente, para ficar no hotel, mas achamos melhor que ele fique para seguir o treinamento. Temos um grupo equilibrado e temos que dar muita moral para o Marcelo, que quando subiu foi muito bem na Libertadores. Tenho certeza que ele dará conta do recado."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.