Agência O Dia
Agência O Dia

Zé Roberto admite que Palmeiras fez 'jogos ridículos' na temporada

Experiente jogador elogiou a base deixada por Oswaldo do Oliveira

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 16h57

Jogador mais experiente do elenco do Palmeiras, o meia Zé Roberto evitou entrar em polêmica sobre a demissão do técnico Oswaldo de Oliveira e pediu apenas que o novo treinador - a qualquer momento deverá ser confirmado que será Marcelo Oliveira - não jogue fora todo o serviço e base montada pelo antigo comandante. Esbanjando sinceridade, o jogador de 40 anos disse que a equipe chegou a fazer jogos ridículos na temporada, mas que não se pode ignorar as grandes partidas.

"O Oswaldo foi um treinador com quem, neste período curto, aprendi muito. Não podemos jogar por terra tudo que construímos nesses seis meses. Já temos uma base e o Palmeiras montou um novo plantel, que está sendo organizado. O Oswaldo passou, temos que pegar coisas boas e pensar na frente. O próximo treinador que vier terá um elenco farto, com jogadores de qualidade e cabe a ele escalar o time, mas já temos uma base", analisou o meia.

Zé Roberto disse ainda que o Palmeiras precisa ter mais equilíbrio e não alternar boas e más atuações. "Fizemos grandes jogos, mas também fizemos jogos ridículos. A gente pode se cobrar, porque sabemos que podemos render mais. Essa cobrança tem que existir todos os dias", comentou. "Chegamos na final do Paulista e fizemos grandes clássicos. Não podemos fazer um jogo bom contra o Corinthians e entregar para o Figueirense. O novo treinador com certeza sabe desse processo que estamos passando e espero que consigamos passar essa regularidade."

Em relação a Marcelo Oliveira, o meia nunca trabalhou com o treinador, mas acredita que ele tem tudo para se dar bem no Palmeiras. "É um treinador que tem experiência, com certeza. E, se vier, vai agregar muito para o nosso elenco e a gente espera que se defina mais rápido possível."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasZé Roberto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.