Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Zé Roberto chega para ser o 'Seedorf do Palmeiras'

Meia espera usar experiência para ajudar aos jovens atletas, como o holandês fazia no Botafogo, comandado por Oswaldo de Oliveira

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2015 | 07h04

Com a camisa 11 nas costas e 40 anos de idade, Zé Roberto foi apresentado nesta quinta-feira pelo Palmeiras e mostrou a disposição de um garoto. Tirou a camisa e mostrou a barriga "tanquinho" para deixar claro que está em forma, passou a maior parte da entrevista coletiva lembrando de seus feitos ao longo da carreira e reforçando a ideia de que chega para ser uma referência dentro e fora de campo . A ideia é que ele se torne o que Seedorf foi para o técnico Oswaldo de Oliveira no Botafogo.

No clube carioca, o holandês foi o capitão e, muitas vezes, o organizador do time. "Não tive conversa sobre isso com o Oswaldo. É claro que, olhando a minha trajetória, ela é muito comparada com a do Seedorf. Como aqui no Palmeiras há muitos jogadores jovens, chego para agregar com a minha experiência e acho positivo passar algo para esses jovens como o Seedorf fez no Botafogo", disse o meia, que assinou contrato por uma temporada.

Além de exercer uma função de líder de um grupo em que alguns jogadores têm idade para ser seu filho – como o atacante Gabriel Jesus, de 17 anos, e o lateral-direito João Pedro, de 18 – , Zé Roberto quer deixar claro que não chega ao Palmeiras para "enganar". Ele esperar atuar em alto nível pelo menos por mais dois anos e, com bom humor, disse que espera jogar até os 50.

Com passagens marcantes por Bayern de Munique, seleção brasileira e Santos, entre outros, ele e diz que está tranquilo para mais um desafio em sua carreira. "Eu usei a do Pelé (camisa 10 do Santos) e não tive problema. A responsabilidade no Palmeiras é grande, mas estou confiante." Ele disse que assinou com o Palmeiras por enxergar que os dirigentes querem fazer o time voltar a brigar por títulos.

Embora tenha dito que ainda não sabe em que posição vai atuar, a tendência é que realmente ele jogue no meio-campo. Além da camisa 11, outro indício é o fato de o clube ter contratado o lateral-esquerdo João Paulo. Pessoas ligadas à comissão técnica acreditam que Oswaldo pretende utilizá-lo como um terceiro homem do meio-campo, dando ajuda na marcação e saindo para o jogo.

O elenco palmeirense continua os treinamentos de pré-temporada, e ontem acertou um amistoso contra o Shandong Luneng, da China, para o dia 17 no Allianz Parque. O jogo será a primeira oportunidade para Oswaldo de Oliveira fazer testes e começar a definir o time que inicia o ano no dia 1º de fevereiro, na partida contra o Grêmio Osasco Audax, pelo Campeonato Paulista.

NEGOCIAÇÕES

O Palmeiras pretende contratar mais três jogadores. A negociação com o volante Arouca esfriou, mas o clube não joga a toalha e ainda espera tirá-lo do Santos.

O objetivo é tentar aproveitar a crise financeira do Santos, que deve salários ao jogador, mas o volante já avisou que só deixa a Vila se a proposta for vantajosa para os dois clubes. Ele não pretende acionar o clube na Justiça.

O atacante Rafael Marques aguarda alguns detalhes para fazer exames médicos e assinar contrato. E o meia Robinho parece mais distante.

O presidente do Coritiba recusou ontem uma proposta de R$ 2,5 milhões e mais três jogadores por empréstimo (Patrick Vieira, Mazinho e Vinícius) pelo meia. "Com esse dinheiro eu não contrato ninguém do mesmo nível ou melhor do que o Robinho", disse o dirigente. Nesta sexta-feira deve acontecer uma nova reunião, e o Palmeiras pode aumentar o valor.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasZé RobertoSeedorfBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.